segunda-feira, junho 30, 2008

ELEITORAIS

REFORÇOS DE ÚLTIMA HORA
Aos 48 minutos do segundo tempo e com uma forçada de barra, a candidatura de Décio Lima buscou dois apoios importantes na reta final. PSB e PR realizaram convenção nesta segunda-feira e oficializaram apoio a candidatura petista. São mais três minutos no horário de TV e o mais importante: são três a menos na já calibrada campanha de JPK.

O PRIMEIRO
O PSB declarou apoio mais cedo, no começo da tarde. Mas com um pé atrás, pois deixou a ata em aberto, para ver se o PT não pregaria alguma surpresa de última hora, como uma hipotética chapa pura. O temor era do ex-pré-candidato Marcelo Greuel, presidente do partido em Blumenau. Greuel não esteve presente na convenção do PT, no começo da noite.

NERVOS EXALTADOS
Já no PR o clima esquentou minutos antes da convenção começar, por volta das 19 horas. Os filiados que chegavam a sede do partido, no edifício Marinês, nas proximidades da Vila Germânica, recebiam a notícia de que havia uma orientação da Direção Nacional do partido para aceitar a coligação com o PT. O ex-prefeito Dalto dos Reis não apareceu.

ENTRE ATO
Vou falar a partir de agora da convenção do PT, apenas para obedecer à ordem cronológica dos acontecimentos, mas prometo que volto à reunião do PR, o gran finale.

DE VOLTA
O prédio escolhido para ser o QG da campanha petista é enorme e já serviu os candidatos Luiz Henrique e João Paulo Kleinübing. Deu sorte aos dois. Apesar do espaço, a convenção aconteceu em uma sala pequena, onde dezenas de petistas se espremiam em meio a um calor fora de época. Falaram, pela ordem, o presidente do PT, Édson Adriano, o candidato a vice, Amauri Cadore e o anfitrião, Décio Lima.

COLOCANDO LENHA
O presidente do PT, ao citar os sete partidos coligados, disse que estavam esperando o PR, que naquele momento fazia convenção. Inflamado, disse que a “derrota de 2004 (quando ele foi candidato do PT) estava enterrada” e que a candidatura de Décio era “para tirar a cidade de Blumenau do retrocesso”.

ACREDITEM EM MIM
Já Cadore fez um discurso sabendo do pouco conceito que goza entre os petistas: “Sei o que representa Décio Nery de Lima para Blumenau; Sei o que representa o PT para Blumenau”, enfatizou o candidato a vice pelo PDT, que prometeu para a militância: “vou retribuir a confiança que depositaram em mim”.

SEDUÇÃO
Já Décio Lima usou uma de suas grandes virtudes, a oratória, apelando em todos os momentos para o lado humano. “Este momento representa os morros”, “Estamos escrevendo a história das pessoas que mais precisam” e “Somos aqueles que carregamos na nossa alma o sonho de construir uma sociedade justa e fraterna”, foram algumas das expressões do candidato petista.

MIRANDO
Ele foi claro no foco do ataque da campanha petista daqui por diante, a saúde pública. “Graças a Deus meu vice é médico”, falou o candidato, destacando que ele considera este como o maior problema de Blumenau hoje. Anunciou a volta do Orçamento Participativo, destacou o carinho para com o chateado Dalto dos Reis e brincou com um erro do vereador Rufinus Seibt, na convenção do último sábado. “Nós vamos vencer no dia cinco de outubro. Se eles quiserem podem ganhar no dia sete”, brincou com o engano do candidato a vice na chapa de JPK, que confundiu as datas durante o discurso. Como não poderia deixar de ser, o final foi apoteótico, com aplausos, palavras de ordem e a tradicional fila de cumprimentos.

....
Mas a noite ainda não havia acabado. Vocês se lembram da convenção do PR? É para lá que voltamos.

FOGUEIRA
Terminados os compromissos na convenção do PT, Décio, acompanhado da deputada Ana Paula Lima e de alguns colaboradores, rumou para a sede do PR. Na chegada, o candidato sentiu o clima tenso. O encontro dos “Republicanos” (acho que não devo chamar assim, mas agora foi) estava terminando e muitos não esperaram a entrada do candidato a prefeito e deixaram a sala. Na calçada mesmo começou o, digamos, bate-boca civilizado.

INDIGNAÇÃO
Os que saiam diziam que não concordavam com a aliança; “Uma vergonha este troço”, “goela abaixo” e outras expressões do nível marcaram a chegada da comitiva petista. Mas logo o lado do PR que mandava começou a colocar ordem na casa. Décio discursou, mas pelo menos a metade das pessoas que participaram do encontro não estava mais.

SEDUÇÃO
Para os que ouviram, Décio fez um discurso apaziguador; “nem tudo é o que a gente quer”, “o lado do PR é nosso lado”, “vou dividir a caneta com vocês” foram os argumentos que o candidato usou para acalmar os corações dos (lá vou eu de novo!) “Republicanos”.

O QUE VALE
Não tive tempo de calcular e estou cansado para fazer isto agora( afinal são quase meia noite), por isto me baseio em um cálculo feito pelo PT para falar da divisão de tempo na televisão, quando começar a propaganda eleitoral. A coligação de JPK terá algo entre 14 e 15 minutos e a de Décio terá pouco mais de nove. Este é um dos principais motivos que fizeram as duas coligações disputarem até o último minuto os apoios dos demais partidos.

PATÉTICO
Preciso dizer que o PDT também fez convenção hoje e não o coloquei na minha resenha acima descrita de propósito. Para não estragar a narrativa. Na uma hora e meia que acompanhei, a convenção simplesmente não aconteceu. No período de tempo que estive lá nem o candidato a vice Amauri Cadore passou por lá. Cezar Cim muito menos. O grupo de Valdecir Mengarda preferiu ficar a maior parte do lado de fora da sala.

2 comentários:

tpduwe disse...

Ótima sacada essa dos "republicanos" com o PR. Ainda mais depois dessa de reclamar de que foi tudo "goela abaixo".

Thiago Duwe.
Estudante.

Claudionor disse...

Acompanhei dos bastidores uma pequena parte das movimentações políticas no último mês.

Como uma pessoa totalmente leiga no assunto, posso afirmar que é lamentável que se faça política desta forma.

As poucas pessoas sérias, com posição ética, corretas, pouco conseguem avançar neste "lago de crocodilos".