sexta-feira, agosto 15, 2008

LATINHA

SUCESSO
Sem querer causar má impressão de arrogância, já entrevistei muita gente famosa nestes quase 20 anos de jornalismo. Lula, Fernando Gabeira, Garotinho, Tarso Genro, Olívio Dutra, o escritor Moacir Scliar, foram alguns que vieram à cabeça em um primeiro estalo. Mas a que mais provocou repercussão foi uma recente, com o candidato José Ouriques, o Latinha. Exibida no Jornal Meio Dia, com a participação deste blogueiro e do colega Alexandre José, titular do programa, terminou de forma melancólica.

RELEMBRANDO
Foi no dia 31 de julho. Ao final dos 20 minutos de entrevistas, o candidato do PTC falou sobre uma denúncia: “estava sendo ameaçado de morte, porque vou ganhar a eleição”. Pressionado pelos entrevistadores, ficou nervoso terminando com o agora célebre choro ao vivo. Choveu ligação para a Ric Record. Os nossos celulares não pararam de tocar. Duas semana depois do episódio, estes dias um senhor me parou no supermercado para comentar a entrevista. No posto, no Mendez, entre os amigos e os amigos dos amigos, a participação de José Ouriques repercutiu muito.

ATÉ NA REDE
Para minha surpresa, hoje um amigo recebeu um vídeo via e mail, com o seguinte título: “os últimos minutos do Latinha”. Anexado estava uma reprodução dos últimos minutos da entrevista no Jornal Meio Dia. Como está na rede, disponibilizo aqui também.


video

AUTO-CRÍTICA
Tenho pego muito no pé do candidato porque acho que ele presta um desserviço à democracia. Tem gente que diz que pegamos pesado na entrevista (eu e o Alexandre José) e concordo. Mas é difícil ouvir vinte minutos de propostas e idéias que não tenham nexo com a realidade sem perder um pouco das estribeiras. Pelo que vi em outros lugares, em especial nas rádios, acho que não fomos só nós que ficamos nervosos. É dose para mamute.

ELEITORAIS


A PRIMEIRA MORDIDA
Décio Lima é o primeiro candidato multado nesta eleição em Blumenau. A Justiça Eleitoral aplicou uma penalidade de R$ 5.320 por conta das placas colocadas no comitê da campanha, no começo da Rua XV. O juiz Osmar Mohr entendeu que elas ultrapassaram o limite de quatro metros quadrados, tamanho máximo estipulado pela lei.

REVERTER DECISÃO
O assessor jurídico da Coligação Blumenau de Todos já ingressou com recurso junto ao TRE e a decisão deve sair até segunda-feira. Lucínio Nones considera que houve uma mudança na interpretação da lei neste pleito. “Nossas placas estão no tamanho regular. Houve um entendimento do juiz que o conjunto da propaganda, com a fachada incluída, estaria em desacordo. Mas acredito que possamos reverter a decisão”, finaliza o advogado.

MAIS RÁPIDOS
Segundo o procurador eleitoral Flávio Duarte, outros candidatos já foram notificados pelo mesmo motivo, mas resolveram o problema rapidamente.

BAIXA NO PDT

ENGANO DE PERCURSO
A saída de Valdecir Mengarda do PDT, oficializada junto ao cartório eleitoral na tarde da última quarta-feira, era morte anunciada. Previsível desde sua entrada, diga-se de passagem. Dentro do PDT de Blumenau existe um feudo montado por Cezar Cim e comandado por Roberto da Luz e Benjamim Coelho, com o aval do presidente estadual, Manoel Dias. O ex-petista se iludiu achando que iria entrar no partido e já fazer parte de uma majoritária. Ou como diria Romário: “chegou tarde e quer sentar na janela”. O choque foi inevitável.

JUNTO
Junto com Mengarda filiou-se um grupo de cerca de 20 pessoas, quatro delas candidatas a vereador agora. Segundo o educador, eles terão seu apoio de forma pessoal. E promete uma guinada de rumo em um futuro próximo.

CURRÍCULO
Mengarda despontou no sindicato da Furb, onde foi vice-presidente. Petista, pertencia a uma ala mais à esquerda do partido e em algumas ocasiões fez o enfrentamento com o então prefeito Décio Lima. Várias vezes teve o nome cotado para ser secretário municipal de educação, mas nunca foi chamado para ocupar o cargo. Candidato a vereador na eleição passada, fez mais de dois mil votos e ficou na segunda suplência petista. Descontente com os rumos do PT Nacional, desfiliou-se no começo de 2005. Foi para o Psol, mantendo-se no seu ideário de esquerda. Lá houve divergência também e culminou com a ida dele e seu grupo para o PDT, em 2007.

quinta-feira, agosto 14, 2008

OBRAS MUNICIPAIS

PASSO DE TARTARUGA
O mau-humor de São Pedro está trazendo problemas para a Prefeitura de Blumenau. É que com este tempo encardido o andamento das obras na cidade está em ritmo lento, quase parando. Resultado: comunidade no berreiro.

RUAS FECHADAS
A moda agora é interromper ruas, afirma o diretor da Secretaria de Obras, Evandro Schüller. Daqui a pouco mais, às 17h30, os moradores da Rua Bernardo Scheidemantel, no Testo Salto, prometem uma manifestação deste tipo. Segundo Evandro, motivada mais pela disputa eleitoral que outra coisa.

BRAÇOS CRUZADOS
O diretor explica que tudo atrasa com a chuva, que impede a realização da maioria dos serviços. Gente boa este Evandro Schüller. Posso até discordar desta explicação, mas ele está sempre disponível à imprensa e dá a cara para bater.

QUEM?
Alguém conhece o secretário de Obras do município de Blumenau?

SERVIÇO PÚBLICO

MEIO EXPEDIENTE
Coincidência ou não, o fato é que a redução no horário de atendimento da Prefeitura de Blumenau (por causa das reformas no prédio) veio a calhar para a candidatura de João Paulo Kleinübing. Trabalhando somente pela manhã, os ocupantes de cargos de confiança estão liberados para trabalhar pelo projeto de reeleição. Estes dias aconteceu com um conhecido meu que é “CC” da Prefeitura. À tarde estava desenvolvendo atividade pertinente à campanha.

CÂMARA MUNICIPAL
Isso vale ainda para os vereadores, que também reduziram o expediente.

RECLAMAÇÃO
Ontem estive na Prefeitura, exatamente às 13 horas. Fui ao posto da Blucredi, na Praça do Cidadão. Lá uma senhora de quase oitenta anos (assim ela falava) e um homem que se dizia morador de Balneário Camboriú reclamavam do horário do expediente. A coitada da servidora só dizia uma coisa: “Não é culpa nossa”.

quarta-feira, agosto 13, 2008

BEC NAUFRAGA

FEZ ÁGUA
Se já é difícil um, imagina dois. Apesar disto Alencar Farias insistiu em seu projeto de fazer renascer o BEC e criou o Blumenau Entretenimento Comunitário, por que a marca original está com problemas legais. Sem jogar uma partida oficial, o sonho começa a fazer água. Agora à tarde a diretoria do Paraná Clube anunciou o final da parceria firmada há menos de dois meses e levou seus oito jogadores de volta a Curitiba.

LAMENTÁVEL
Crônica de uma morte anunciada. Este é o título que mais convém. Faltava credibilidade e planejamento, ingredientes básicos para a sobrevivência de qualquer negócio e futebol é hoje, mais que tudo, negócio. Para aqueles que afirmam que Alencar é um batalhador, digo que ele é um irresponsável. Passou cheque de terceiro para administração do Sesi por conta do jogo contra o Paraná que foi sustado, não tinha campo de treino e muitas vezes fez os atletas fazerem exercícios em galpões improvisados. Sem falar na qualidade da alimentação servida aos profissionais.

O OUTRO LADO
Liguei umas quatro vezes para o celular do Alencar Farias para ouvir a opinião dele. Estava desligado ou fora de área.

PLACAS E TERRENOS


TERRENOS
Você é daqueles que fica incomodado com terrenos baldios, cheios de matos, lixos e na maioria das vezes sem calçada, espalhados pela cidade? Quando a gente reclama para a Prefeitura (de qualquer cor partidária, diga-se de passagem), a resposta é a mesma. “A responsabilidade não é nossa, cabe-nos apenas notificar o proprietário e na maioria das vezes ele é desconhecido, a gente não encontra, etc....”

QUEM SABE?
Segue então uma humilde sugestão para encontrar os proprietários destes terrenos. Como a legislação eleitoral só autoriza a colocação de placas de candidatos em terrenos particulares, é de supor-se que, pela quantidade de propaganda colocada nestes locais, os donos tenham autorizado. E sejam conhecidos dos candidatos. É só perguntar para eles.

ENTÃO?
Não é fácil o meu raciocínio? Ainda mais que a maioria das placas é de partidos que estão hoje na Prefeitura.

ELEITORAIS TELEVISIVAS

ACERTANDO OS PONTEIROS
Os representantes das cinco candidaturas estiveram ontem na Ric Record para acertar as regras para o debate da emissora, que acontecerá no dia 28 de setembro, a uma semana da eleição. Será domingo, às 20h30. Pela Coligação Faz Blumenau Mais Forte compareceu o diretor de imprensa da Prefeitura, Fabrício Wolff. Pela Coligação Blumenau de Todos, José Garcia e Irene Huscher. Alison Micosky representou a candidatura Salve Blumenau. Flávio Vieira se fez presente pela Coligação Blumenau e Osni Wagner pelo Psol.

USO DE IMAGENS
Foram quase duas horas de reunião e o único impasse aconteceu por conta de uma situação que a emissora não pode se responsabilizar. O uso de imagens dos candidatos em programas eleitorais dos adversários. Fabrício Wolff propôs que fosse proibido o uso e foi seguido pelos representantes da candidatura de Décio Lima. Mas o representante de Ivan Naatz não concordou e Osni e Vieira concordaram que aquele não era o fórum para o assunto. Ficou “pré-acertado” que não serão usadas imagens que possam ser vexatórias.

ESTRUTURA
O debate terá quatro blocos. Nos três primeiros os candidatos farão perguntas entre si e em dois eles responderão também a questionamentos de jornalistas convidados. O debate terá duas horas de duração.

IMPORTÂNCIA
Segundo os especialistas, o debate uma semana antes do pleito tem tudo para ser decisivo, pois há tempo hábil para as campanhas repercutirem e assim ganharem os corações e mentes dos eleitores. O da RBS acontece dois dias antes da votação, após o último dia da propaganda eleitoral.

FOTO
O competente e amigo Pancho, conhecido por poucos como Francisco Fresard, flagrou com sua sensibilidade uma conversa de pé de ouvido entre os jornalistas Irene Huscher e Jaime Avendano, assessores de imprensa das candidaturas de Décio Lima e João Paulo, respectivamente. A foto está em sua coluna no "Santa" e mostra eles olhando a agenda da Irene. Naquele exato momento, Jaime perguntava a ela se a reunião na Ric Record era mesmo à tarde. Era.

terça-feira, agosto 12, 2008

DEBATE

FURB TV
Em tempo. A FURB TV gravou o debate das rádios Nereu e Clube e irá exibir na íntegra a partir das 22h30 de hoje. Segundo o reitor Eduardo Deschamps, a grande quantidade de debates programados fez a tv da universidade optar por esta transmissão "conjunta", livrando assim a agenda dos candidatos. O reitor ainda disse que a Furb TV também está programando um debate com os candidatos à Prefeitura de Gaspar. Mas ainda não está confirmado.

DEBATE RÁDIO

OLHARES
Escrevi tanto sobre o debate, que acho que deixei escapar algumas particularidades. Como tinha platéia, era interessante a troca de olhares entre os candidatos e seus assessores. Ângelo Roncáglio, por exemplo, atuava como aqueles treinadores que não ficam na casamata, de tanta orientação que passava para Ivan Naatz. João Paulo Kleinübing, em algumas vezes, também procurou os olhos de Nélson Santiago. Como a comitiva de Décio Lima era maior e estava espalhada, não sei para quem o candidato olhava. Acho que em alguns casos era para a esposa, deputada Ana Paula Lima.

SORRISO
Por natureza (ou timidez, quem sabe), João Paulo Kleinübing passa a imagem de um cara sério, sisudo às vezes. Mas ele não resistia às intervenções de José Ouriques. Cada proposta absurda do candidato do PTC, um sorriso daqueles bons brotava no rosto de JPK. Aliás, o candidato que já atendeu pelo apelido “Latinha”, provocou boas risadas durante o debate.

FORA DA CASA
Apesar de ser engraçado no momento, a participação de José Ouriques mais uma vez foi lamentável. Desconectado, falava as ladainhas que, infelizmente, estamos ficando acostumados a ouvir, obrigados que somos pela legislação eleitoral. Em alguns casos ele parecia estar em outro planeta e ficava distribuindo sorrisos, como se estivesse agradando. Nem as regras Ouriques parecia conhecer.

AVALIAÇÃO
Olha, não sei dizer quem foi melhor. João Paulo manteve a postura de administrador e em pelo menos duas oportunidades alfinetou Décio Lima. Já o candidato petista achei mais contido, com discurso conciliador, mas muito na defensiva. Ivan Naatz, como franco-atirador, distribuiu bordoada, com o discurso do novo. Dari Diehl estava mais preparado do que nas outras oportunidades e foi muito bem em alguns momentos, principalmente naquele que colocou o candidato petista em uma saia justa por causa de uma questão envolvendo os servidores. Já o Latinha... deixa assim.

ELEITORAIS

DEBATE GRUPO A FORÇA DO RÁDIO
O primeiro debate entre os candidatos à Prefeitura, promovido pelas Rádios Nereu Ramos e Clube nessa manhã de terça-feira, foi cansativo na opinião deste blogueiro, que acompanhou ao vivo no Hotel Plaza Hering. Foram quase três horas de discussão.

BASTIDORES INICIAIS
Cerca de 40 pessoas acompanharam o debate no hotel, mediado pelo competente Joelson dos Santos. Acompanhando João Paulo Kleinübing estavam o coordenador geral da campanha, Nélson Santiago, e os jornalistas Jaime Avendano e Marcos Nascimento. Junto com Décio Lima estavam Paulo Costa, coordenador da campanha, José Garcia, a vereadora Maria Emília, Éder Lima e mais tarde chegou o candidato a vice Amauri Cadore. A deputada estadual Ana Paula Lima também estava presente. Ivan Naatz estava acompanhado do vice Angelo Roncáglio, do candidato a vereador Maurício Costa e de dois assessores. Osni Wagner acompanhou o candidato do Psol, Dari Diehl. José Ouriques também estava acompanhado de um assessor que não sei o nome.

FORMATO
O debate foi dividido em duas situações, fora é claro, as tradicionais aberturas e encerramentos. Em uma, candidato perguntava para candidato e em outra havia um tempo de três minutos para debate livre entre dois candidatos, com tema determinado através de sorteio.

AVALIAÇÃO PESSOAL
Foi um debate de fala mansa. Nenhum candidato elevou a voz, exceto Ivan Naatz ao questionar um direito de resposta e de um debate entre Décio Lima e Dari Diehl no final do programa. Seguem alguns momentos mais “quentes”, obviamente do ponto de vista deste blogueiro:

PROVOCAÇÕES
No começo, João Paulo Kleinübing lembrou os 12 anos que o Hospital Santo Antônio teria ficado sem investimentos. Na mesma hora Décio retrucou: “Não é verdade”. Ainda sobre o hospital, em um determinado momento JPK disse algo do tipo “o HSA aparecia nas páginas policiais”, referindo-se à CPI e às investigações feitas para apurar denúncias de irregularidades no local durante a gestão do petista. A alfinetada rendeu um direito de resposta a Décio no final.

Já Décio criticou o aumento da taxa de mortalidade infantil na gestão de JPK e criticou o que considera “falta de atitude” da atual gestão para os problemas do setor. “A saúde está precarizada. O senhor tem que ouvir o povo nas rádios”, disparou. Foi aí que Kleinübing lembrou do caso do HSA e revidou: “Temos que ter é responsabilidade nas ações e não propor soluções como se fossem feitas com passe de mágica”.

Já Dari Diehl questionou o fim do Domingo Livre, criado na gestão petista e disse que voltará com o programa caso eleito. Ninguém mais falou sobre o tema, nem mesmo Décio.

João Paulo ironizou a amizade de Décio com o presidente Lula: “Não basta ser amigo do presidente, é preciso ter bons projetos”. Já o petista disse que “Lula foi o melhor prefeito que Blumenau já teve”, em alusão a quantidade de recursos federais investidos na cidade nos últimos anos.

Ivan Naatz e Dari Diehl, sempre que as regras permitiram, fizeram dobradinha para centrar fogo nas duas principais candidaturas. Sobre os servidores, Naatz lembrou da greve de 31 dias no final do mandato do petista, inclusive do pedido de ilegalidade feito pelo então prefeito. Já Diehl pegou pesado ao se referir ao plano de carreira, criado por JPK. “Lembra Pinochet no jardim de infância”.

O candidato do Psol provocou Décio Lima, sobre uma suposta afirmação que teria sido feita pelo petista: “O servidor não elege o prefeito”. Décio negou que tenha feito tal afirmação.

Quando JPK disse que Blumenau foi parar no Serasa por conta da dívida deixada pela administração petista, Décio mais uma vez usou a expressão mentira.

Um dos poucos momentos de tensão envolveu Ivan Naatz e Décio Lima, quando o candidato da Coligação Salve Blumenau criticou a gestão do petista na área de saúde. Décio retrucou afirmando: “Ele não morava aqui”. A afirmação acabou rendendo um direito de resposta para Naatz.

Sobre as filas em creches municipais, Dari Diehl usou o exemplo da Vila Germânica para criticar João Paulo Kleinübing: “faltou vontade política para resolver toda demanda nas creches municipais. Quando quis, ele construiu a Vila Germânica”.

Décio aproveitou o fato de o candidato José Ouriques fazer hemodiálise e usar bastante o atendimento na rede pública, para perguntar-lhe qual sua avaliação sobre o serviço prestado. Imagina o rosário de lamentações que o candidato, que se denomina servo de Deus, desfiou.

Ivan Naatz cobrou de JPK a isenção dada a Coteminas por 10 anos, que resultaria, segundo o candidato verde, em 32 milhões de impostos que deixaram de ser recolhidos. João Paulo rebateu, dizendo que quem decide é o Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico: “eu só assino”.

Quando questionado sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal Décio aproveitou para tentar escapar da crítica que sua gestão deixou dívidas, que inviabilizaram a busca por financiamento pela atual administração. Já Dari Diehl disse que seu compromisso é com a responsabilidade social e que descumprirá a lei caso faltem recursos para atender a população. João Paulo, respondendo por último, voltou a criticar a gestão petista e falou do que havia feito para sanear os cofres municipais.quando prefeito na área de saúde.

segunda-feira, agosto 11, 2008

SINDICAIS

JORNAL DOS SERVIDORES
Demorei para escrever, mas não posso deixar de postar algumas considerações sobre o jornal do Sintraseb, edição publicada em julho. “A Voz do Servidor” é bem feito e com conteúdo bastante variado. Politicamente correto, traz a transcrição de uma obra prima da poesia política, que é o “Analfabeto Político”, de Bertold Brecht.

CHARGE
Duas situações chamaram a atenção deste blogueiro (fora é claro o texto de Brecht): a charge publicada na página 5, ilustrando a reportagem sobre a mal sucedida tentativa de auto-aumento dos nossos vereadores . Lá estão retratados dois personagens, ambos vereadores: Um, seria o “Tião Lamaçal” e outro o “Bovino”. O diálogo é assim: “ Pô, Bovino, esse povinho do sindicato caiu de pau no nosso aumentinho” e o outro respondia “ Pelo menos você tem o salário da patroa, Tião do Lamaçal. Já eu vou ter que me virar com o dízimo”.

ESTÃO CURIOSOS?
Como não me atrevo a entrar nesta e só estou reproduzindo o que foi publicado no jornal do Sintraseb, só dou uma dica: parece que os apelidos teriam rima com os verdadeiros nomes.

“CRICA”
Jornalista é chato e é o único que lê expediente de jornal. Para ver qual o colega que está trabalhando lá, ver se tem alguém conhecido, aquelas coisas. Além de Priscila Simas dos Santos assinando como jornalista responsável, estava lá o nome de José Ricardo Freitas, como assessoria sindical.

O CARA
O sindicato tem sete diretores, entre eles uma coordenadora. Mas é o nome de Ricardo Freitas, um sindicalista remunerado, que aparece no expediente. O dele e o da Priscila. Freitas, que se notabilizou nas greves dos ônibus de Florianópolis, virou eminência parda dos principais sindicatos de Blumenau: têxteis, trabalhadores de empresas de ônibus e servidores públicos. Imagino que tenha ascendência também nos bancários. Todas as últimas manifestações e assembléias de trabalhadores tiveram a participação ou o dedo dele de alguma forma.

TRATOR
Ouvi duas opiniões de pessoas que o conhecem. Uma de quem está do mesmo lado do balcão e outra de quem está do outro. Convergem. O homem é forte.

ENFIM
Segue então o Analfabeto Político. O dramaturgo alemão Bertold Brecht escreveu isto no começo do século. Passado. Mais ou menos 100 anos. Faltando menos de dois meses para a eleição, mais atual, impossível.

O Analfabeto Político
O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve,
não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo
de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do
remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que
se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que
da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de
todos os bandidos que é o político vigarista, pilantra, o corrupto e lacaio dos
exploradores do povo

ELEITORAIS

O PRIMEIRO DEBATE
Esta terça-feira tem tudo para ser um marco nesta morna campanha eleitoral vivida em Blumenau até o momento. Pela primeira vez os candidatos estarão frente a frente. Será no debate promovido pela rádio Nereu Ramos, a partir das 9 horas.

CAMPANHA AINDA TÍMIDA
A campanha engatinha em Blumenau, esperando a propaganda eleitoral gratuita, especialmente na televisão. A candidatura de João Paulo Kleinübing saiu na frente no que diz respeito a colocação de placas em áreas particulares. Já a de Décio Lima investiu bastante em plotagem de carros, não se restringindo apenas aos vidros, mas em boa parte dos automóveis. Ivan Naatz promete colocar material na rua esta semana.

A CHINA SERÁ AQUI
Brincadeira de um observador, falando sobre a quantidade de placas de JPK e a ausência das de Décio Lima: “sabe aquela muralha da China? A hora que o candidato do PT começar as suas ficará igual, de tantas que ele deve colocar”. Antes que se apressem em tirar conclusões, o meu interlocutor estava fazendo uma crítica. Segundo um levantamento, estas placas que estão sendo colocadas custam entre R$ 55 e R$ 65. Cada.

domingo, agosto 10, 2008

NORBERTO METTE

CONTATO
O secretário de turismo Norberto Mette me telefonou na sexta-feira à noite para contestar a informação postada neste blog no dia anterior e me encher de desaforo.

RELEMBRANDO
Vamos lá. Eu escrevi que ao mesmo tempo que a secretária dele dizia, ao telefone em dois momentos, que Mette estava em Florianópolis, ele estava em uma reunião na Acib para discutir questões inerentes a reativação do aeroporto Quero- Quero.

O FATO
Este é o fato que eu soube e postei. Ao ser procurado por esse blogueiro para falar sobre o contrato de publicidade da Oktoberfest (em duas oportunidades), a informação oficial é que ele estava na capital do estado. Mas na mesma hora estava na reunião da associação empresarial (que aliás, como secretário de turismo, exigia sua presença mesmo).

A EXPLICAÇÃO
Norberto Mette me disse o seguinte, mais ou menos nestas palavras: “Quando sai da Vila ( Germânica) no final da manhã, avisei minha secretaria que iria para Florianópolis. No entanto, no horário do almoço, o presidente da Acib, Ricardo Stodieck me ligou e convidou para a reunião para discutir o aeroporto. Não avisei e portanto ela pensava que eu estava mesmo em viagem". Em resumo, o secretário está dizendo que houve um ruído na comunicação entre ele e sua secretária. Se é isto acredito e ponto final.

O CONTRATO APARECEU
Com relação ao contrato questionado por alguns órgãos de imprensa recentemente, que autoriza a RBS a captar eventos para a Oktoberfest sem licitação, recebi a cópia tão pedida na última sexta-feira. Ali, com minha limitação jurídica, parece que mesmo uma determinada empresa ganhando a licitação (no caso a Propague, agência de propaganda que presta serviço para a Vila Germânica), pode transferir a responsabilidade para uma terceira, no caso a RBS no item captação de patrocinadores. A Propague ganhou, a RBS executa.

LIBERADO
No contrato está escrito que pode. Como era isto que eu cobrava do secretário de Turismo, paro por aqui com esta história. A questão moral fica na conta de quem conhece o assunto ou acompanhou pelo blog. A minha opinião já está formada.

PARA ENCERRAR
O secretário Norberto Mette, incomodado, vê chifre onde não tem que ver nada. Disse que por trás da nota postada no blog na última quinta-feira estava a campanha eleitoral e a simpatia deste blogueiro por um determinado candidato. Disse que para o jornalista é fácil, pode-se escrever o que quiser.

DEMOCRACIA
Seria fácil a vida dos políticos sem a imprensa. Se Norberto, que conheço há pelo menos 15 anos, acha que eu tenho o poder da caneta e ele não tem que dar explicação sobre o destino de recursos públicos, fica a cargo dele. Eu o respeito, apesar da crítica que lhe fiz.

DOMINGUEIRAS

MEIA BOCA
Até este domingo, 10, apenas os sites das candidaturas de Décio Lima e Ivan Naatz estavam no ar. Mesmo assim desatualizados. Nenhum falava dos lançamentos de campanha, realizados na sexta e no sábado, respectivamente. Segundo me informou a assessoria de imprensa da campanha de João Paulo Kleinübing, a coordenação aguardava autorização da Justiça Eleitoral para colocar a página na rede.

COCHILO
Na última semana flagrei a página oficial da candidatura JPK postada de forma errada, com a terminação com.br e não com can.br. Rapidamente ela foi retirada depois de constado o erro.

DÚVIDA OU PROVOCAÇÃO?
Este final de semana um leitor do blog questionou a terminação do e mail da candidatura Décio Lima. Assim está no site: deciolima@brtrubo.com.br. Publico como dúvida do leitor. Confesso que não sei a resposta, vou me informar. O que sei é que as páginas oficiais devem ter o nome do candidato, o número do partido e terminarem em can.br.

ATUALIZANDO
Os coordenadores de campanha deveriam ler a revista Carta Capital desta semana. Iriam conhecer o crescimento do número de pessoas que acessam Internet no Brasil e a importância das ferramentas disponíveis na rede para informar e seduzir potenciais eleitores.