segunda-feira, agosto 11, 2008

SINDICAIS

JORNAL DOS SERVIDORES
Demorei para escrever, mas não posso deixar de postar algumas considerações sobre o jornal do Sintraseb, edição publicada em julho. “A Voz do Servidor” é bem feito e com conteúdo bastante variado. Politicamente correto, traz a transcrição de uma obra prima da poesia política, que é o “Analfabeto Político”, de Bertold Brecht.

CHARGE
Duas situações chamaram a atenção deste blogueiro (fora é claro o texto de Brecht): a charge publicada na página 5, ilustrando a reportagem sobre a mal sucedida tentativa de auto-aumento dos nossos vereadores . Lá estão retratados dois personagens, ambos vereadores: Um, seria o “Tião Lamaçal” e outro o “Bovino”. O diálogo é assim: “ Pô, Bovino, esse povinho do sindicato caiu de pau no nosso aumentinho” e o outro respondia “ Pelo menos você tem o salário da patroa, Tião do Lamaçal. Já eu vou ter que me virar com o dízimo”.

ESTÃO CURIOSOS?
Como não me atrevo a entrar nesta e só estou reproduzindo o que foi publicado no jornal do Sintraseb, só dou uma dica: parece que os apelidos teriam rima com os verdadeiros nomes.

“CRICA”
Jornalista é chato e é o único que lê expediente de jornal. Para ver qual o colega que está trabalhando lá, ver se tem alguém conhecido, aquelas coisas. Além de Priscila Simas dos Santos assinando como jornalista responsável, estava lá o nome de José Ricardo Freitas, como assessoria sindical.

O CARA
O sindicato tem sete diretores, entre eles uma coordenadora. Mas é o nome de Ricardo Freitas, um sindicalista remunerado, que aparece no expediente. O dele e o da Priscila. Freitas, que se notabilizou nas greves dos ônibus de Florianópolis, virou eminência parda dos principais sindicatos de Blumenau: têxteis, trabalhadores de empresas de ônibus e servidores públicos. Imagino que tenha ascendência também nos bancários. Todas as últimas manifestações e assembléias de trabalhadores tiveram a participação ou o dedo dele de alguma forma.

TRATOR
Ouvi duas opiniões de pessoas que o conhecem. Uma de quem está do mesmo lado do balcão e outra de quem está do outro. Convergem. O homem é forte.

ENFIM
Segue então o Analfabeto Político. O dramaturgo alemão Bertold Brecht escreveu isto no começo do século. Passado. Mais ou menos 100 anos. Faltando menos de dois meses para a eleição, mais atual, impossível.

O Analfabeto Político
O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve,
não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo
de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do
remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que
se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que
da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de
todos os bandidos que é o político vigarista, pilantra, o corrupto e lacaio dos
exploradores do povo

Um comentário:

Jefferson disse...

Muito bom! :)