terça-feira, agosto 12, 2008

ELEITORAIS

DEBATE GRUPO A FORÇA DO RÁDIO
O primeiro debate entre os candidatos à Prefeitura, promovido pelas Rádios Nereu Ramos e Clube nessa manhã de terça-feira, foi cansativo na opinião deste blogueiro, que acompanhou ao vivo no Hotel Plaza Hering. Foram quase três horas de discussão.

BASTIDORES INICIAIS
Cerca de 40 pessoas acompanharam o debate no hotel, mediado pelo competente Joelson dos Santos. Acompanhando João Paulo Kleinübing estavam o coordenador geral da campanha, Nélson Santiago, e os jornalistas Jaime Avendano e Marcos Nascimento. Junto com Décio Lima estavam Paulo Costa, coordenador da campanha, José Garcia, a vereadora Maria Emília, Éder Lima e mais tarde chegou o candidato a vice Amauri Cadore. A deputada estadual Ana Paula Lima também estava presente. Ivan Naatz estava acompanhado do vice Angelo Roncáglio, do candidato a vereador Maurício Costa e de dois assessores. Osni Wagner acompanhou o candidato do Psol, Dari Diehl. José Ouriques também estava acompanhado de um assessor que não sei o nome.

FORMATO
O debate foi dividido em duas situações, fora é claro, as tradicionais aberturas e encerramentos. Em uma, candidato perguntava para candidato e em outra havia um tempo de três minutos para debate livre entre dois candidatos, com tema determinado através de sorteio.

AVALIAÇÃO PESSOAL
Foi um debate de fala mansa. Nenhum candidato elevou a voz, exceto Ivan Naatz ao questionar um direito de resposta e de um debate entre Décio Lima e Dari Diehl no final do programa. Seguem alguns momentos mais “quentes”, obviamente do ponto de vista deste blogueiro:

PROVOCAÇÕES
No começo, João Paulo Kleinübing lembrou os 12 anos que o Hospital Santo Antônio teria ficado sem investimentos. Na mesma hora Décio retrucou: “Não é verdade”. Ainda sobre o hospital, em um determinado momento JPK disse algo do tipo “o HSA aparecia nas páginas policiais”, referindo-se à CPI e às investigações feitas para apurar denúncias de irregularidades no local durante a gestão do petista. A alfinetada rendeu um direito de resposta a Décio no final.

Já Décio criticou o aumento da taxa de mortalidade infantil na gestão de JPK e criticou o que considera “falta de atitude” da atual gestão para os problemas do setor. “A saúde está precarizada. O senhor tem que ouvir o povo nas rádios”, disparou. Foi aí que Kleinübing lembrou do caso do HSA e revidou: “Temos que ter é responsabilidade nas ações e não propor soluções como se fossem feitas com passe de mágica”.

Já Dari Diehl questionou o fim do Domingo Livre, criado na gestão petista e disse que voltará com o programa caso eleito. Ninguém mais falou sobre o tema, nem mesmo Décio.

João Paulo ironizou a amizade de Décio com o presidente Lula: “Não basta ser amigo do presidente, é preciso ter bons projetos”. Já o petista disse que “Lula foi o melhor prefeito que Blumenau já teve”, em alusão a quantidade de recursos federais investidos na cidade nos últimos anos.

Ivan Naatz e Dari Diehl, sempre que as regras permitiram, fizeram dobradinha para centrar fogo nas duas principais candidaturas. Sobre os servidores, Naatz lembrou da greve de 31 dias no final do mandato do petista, inclusive do pedido de ilegalidade feito pelo então prefeito. Já Diehl pegou pesado ao se referir ao plano de carreira, criado por JPK. “Lembra Pinochet no jardim de infância”.

O candidato do Psol provocou Décio Lima, sobre uma suposta afirmação que teria sido feita pelo petista: “O servidor não elege o prefeito”. Décio negou que tenha feito tal afirmação.

Quando JPK disse que Blumenau foi parar no Serasa por conta da dívida deixada pela administração petista, Décio mais uma vez usou a expressão mentira.

Um dos poucos momentos de tensão envolveu Ivan Naatz e Décio Lima, quando o candidato da Coligação Salve Blumenau criticou a gestão do petista na área de saúde. Décio retrucou afirmando: “Ele não morava aqui”. A afirmação acabou rendendo um direito de resposta para Naatz.

Sobre as filas em creches municipais, Dari Diehl usou o exemplo da Vila Germânica para criticar João Paulo Kleinübing: “faltou vontade política para resolver toda demanda nas creches municipais. Quando quis, ele construiu a Vila Germânica”.

Décio aproveitou o fato de o candidato José Ouriques fazer hemodiálise e usar bastante o atendimento na rede pública, para perguntar-lhe qual sua avaliação sobre o serviço prestado. Imagina o rosário de lamentações que o candidato, que se denomina servo de Deus, desfiou.

Ivan Naatz cobrou de JPK a isenção dada a Coteminas por 10 anos, que resultaria, segundo o candidato verde, em 32 milhões de impostos que deixaram de ser recolhidos. João Paulo rebateu, dizendo que quem decide é o Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico: “eu só assino”.

Quando questionado sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal Décio aproveitou para tentar escapar da crítica que sua gestão deixou dívidas, que inviabilizaram a busca por financiamento pela atual administração. Já Dari Diehl disse que seu compromisso é com a responsabilidade social e que descumprirá a lei caso faltem recursos para atender a população. João Paulo, respondendo por último, voltou a criticar a gestão petista e falou do que havia feito para sanear os cofres municipais.quando prefeito na área de saúde.

Um comentário:

Carla disse...

Acompanhei todo o débate pela rádio. O Atual Prefeito, deixou muito a desejar!Parecia o Henri Cristi, O MEU PAI.Foi terrível! Já o desempenho do Candidato Décio Lima foi muito bom! Com informações e dados.
Naatz Dari e o José, sem comentários...