quarta-feira, agosto 13, 2008

BEC NAUFRAGA

FEZ ÁGUA
Se já é difícil um, imagina dois. Apesar disto Alencar Farias insistiu em seu projeto de fazer renascer o BEC e criou o Blumenau Entretenimento Comunitário, por que a marca original está com problemas legais. Sem jogar uma partida oficial, o sonho começa a fazer água. Agora à tarde a diretoria do Paraná Clube anunciou o final da parceria firmada há menos de dois meses e levou seus oito jogadores de volta a Curitiba.

LAMENTÁVEL
Crônica de uma morte anunciada. Este é o título que mais convém. Faltava credibilidade e planejamento, ingredientes básicos para a sobrevivência de qualquer negócio e futebol é hoje, mais que tudo, negócio. Para aqueles que afirmam que Alencar é um batalhador, digo que ele é um irresponsável. Passou cheque de terceiro para administração do Sesi por conta do jogo contra o Paraná que foi sustado, não tinha campo de treino e muitas vezes fez os atletas fazerem exercícios em galpões improvisados. Sem falar na qualidade da alimentação servida aos profissionais.

O OUTRO LADO
Liguei umas quatro vezes para o celular do Alencar Farias para ouvir a opinião dele. Estava desligado ou fora de área.

Um comentário:

Osní disse...

Nada contra o Alencar Farias -
Já tinha escrito isso no ORKUT na Comunidade Blumenau - o Problema não é BEC, Metropolitano, Palmeiras ou outro nome, mas, sim o personalismo.

Precisamos mudar não só o discurso de coletivo, agir coletivamente a exemplo da "Comunidade Européia" em que a Alemnhã tem uma liderança forte.

Blumenau no Vale do Itajaí tem uma liderança que se perde por individualismos, bairrismos, xonofobismos e falta de profissionalismo.

Como é o caso do turismo na região que é muito de família os hotéis caros etc.

Personalismo vem de pessoa e uma pessoa não faz muita coisa.
Precisa de um coletivo.