segunda-feira, setembro 22, 2008

TRÂNSITO E POLÍTICA

BENZEDEIRA
Quando a fase não é boa aí tudo acontece. Hoje pela manhã a Guarda de Trânsito flagrou um motorista completamente embriagado na Itoupava Norte. Ele bateu na traseira de uma motocicleta e tentou fugir, sendo pego em seguida. O carro estava totalmente adesivado com propaganda do Décio Lima.

21 comentários:

Anônimo disse...

Certeza que não era o Décio mesmo? hahaha

Castelo Burguês disse...

Acho que ele estava indo rumo a Itajaí procurar emprego... Estava indo agora antes que a cidade portuária fique lotada depois das eleições!

Anônimo disse...

é não da pra dar furo rs

Paladino disse...

Já da para ter uma idéia de como seria a assessoria dele.
Conheci alguns cabos eleitorais que viraram diretores na "prefa".
Ao PT, o que mais importa mesmo é entulhar o ambiente de "aspones" e levar do salário deles o dízimo e o trízimo partidário.

Anônimo disse...

Só enchendo a cara pra esquecer a campanha medíocre que o PT está fazendo.

Anônimo disse...

Petista sóbrio e bêbado tem diferença?

Anônimo disse...

Se fosse no carros adesivos do JPK, o culpado pelo acidente e o bêbado seria o coitado do motoqueiro!

Anônimo disse...

Mas pensem bem ? Podemos acusar o Alexandre, porque ter seu ganha pão em uma empresa parceira e associada ao Bispo Macedo? Não. Então não podemos acusar o Décio, pelo que bebe o Presidente, podemos? Disse muito bem o Alexandre, maré de azar...porque na Gincana de Blumenau, onde vários carros acidentaram, nenhuminha notícia saiu, em nenhum veículo.

Jefferson.L disse...

haha ... já nem digo mais nada ...

Jefferson.L disse...

Assinado!

CAPITA disse...

Gente

A política exige um mínimo de seriedade. Atacar alguém porque outrem bebeu, é demais. Ou será que o JPK recusa vota de bêbado?

paulo disse...

O João(DEM), prefeito de Chapecó, falou besteira e esta sefu.
O João daqui pelo menos manda desligar a gravação quando vai contar piada...

http://cangablog.blogspot.com/2008/09/confisso-de-roubo-do-prefeito-de-chapec.html

Anônimo disse...

Bem, o q dizer a respeito disto? Quem tem teto de vidro q evite de atira pedras, não é mesmo, pessoalzinho do Kleinubing? Ou esqueceram o pai de uns e outros ai era alcoolatra?

Joao disse...

mais bebum que o pai do Joao Paulo Kleinubing, morava atras do sindicato de fiação e tecelagem e todo dia de manhã ia na cantina encher a cara antes de ir pra prefeitura....pudim de cachaça era ele, o filho ta indo no mesmo caminho.

Deise França disse...

é, pelo jeito o Jornal de Santa Catarina não vai fazer como os outros veiculos de comunicação impressa da RBS, foi o unico dos tres que não mostrou reportagem sobre a internet de graça pra população, ou seja, esta com medo de ajudar um candidato ou de atrapalhar o outro? E a desculpa foi que não tinham espaço! acreditem

Felipe Pamplona disse...

É assim que Joao Paulo Kleinubing governou Blumenau!!!!!!

Estranho aumento


O Poder Judiciário do Estado de Santa Catarina negou a liminar pleiteada pelo advogado Ivan Naatz, através de ação popular, mas o mérito da ação continua sendo julgado. A ação contra o Consórcio Siga e o prefeito João Paulo Kleinübing, pedia a suspensão dos efeitos dos decretos municipais nº 8.591/2008 e nº 8.592/2008, os quais autorizavam o reajuste das tarifas do transporte coletivo de Blumenau em 7,89%, bem acima da inflação no mesmo período que foi de cerca de 5%. De acordo com o Decreto Municipal 8.336, de 16 de janeiro de 2007, os valores das tarifas podem ser reajustadas anualmente. E, como o último reajuste havia sido em 26 de janeiro de 2007, o Poder Judiciário entendeu que a data da celebração do contrato de concessão com o Consórcio Siga é indiferente para o reajuste das tarifas, pois as condições estavam claramente delineadas no edital, de modo que o reajuste já estava previsto para acontecer em janeiro, um ano após o último aumento. Portanto, de acordo com o Poder Judiciário, é irrelevante o argumento de que tinha transcorrido menos de dois meses entre a data da assinatura do contrato e a edição dos decretos municipais. O que o hoje candidato reclama, e com certa dose de razão, é que o reajuste foi feito dois meses após o consórcio Siga ter sido vencedor da licitação pública. Ou seja, nem bem assumiu já recebeu um ajutório da prefeitura para pagar as contas. O investimento, que sempre se espera neste tipo de coisa, vem, mas com a grana da população. Assim, com certeza, o caixa do consórcio sofrerá menos e o habitante de Blumenau vai pagar mais.


Transporte público


Uma ação civil tenta derrubar o aumento da passagem de ônibus em Blumenau. A acusação é que o contrato com o Consórcio Siga, feito em novembro do ano passado, exige que um aumento só possa ocorrer após um ano. O Seterb se defende e afirma que o aumento é legal, pois a tarifa ficou em R$ 1,90 por mais de um ano. Certo mesmo é que o autor da ação, Ivan Natz (PV) está de volta após a derrota no Daad.


Processo 008.08.002793-5 - Classe Ação Popular / Lei Especial (Área: Cível) Distribuição Sorteio - 08/02/08 às 18:55 Blumenau / Vara da Fazenda Pública Local Físico 30/05/2008 12:00 - Gabinete do Juiz Partes do Processo (Principais) Participação Partes Autor Ivan Naatz - Réu João Paulo Kleinubing

Felipe Pamplona disse...

E esse é o governador que apoia JPK.

O Tribunal de Contas de Santa Catarina (TC) publicou no Diário Oficial Eletrônico do Órgão a decisão nº 2.538/2008, que considerou legal o edital de concorrência pública para colocação de defensas metálicas (guard-rails) nas pontes Colombo Machado Salles e Pedro Ivo Campos, na Capital, depois das correções propostas pelo próprio TC e acatadas pelo governo do estado. O TC viu duas grandes sacanagens no edital e mandou fazer a correção para garantir que as obras possam ser finalizadas no prazo previsto: 270 dias. Mas como o ‘se’ não trabalha no Deinfra, a vida dos catarinenses, que por ali passam diariamente, ainda correm o risco de se perder desnecessariamente. Uma vergonha!


Deinfra corrigiu


A publicação de errata pelo Departamento Estadual de Infra-estrutura (Deinfra) e apontada por técnicos do TC, contrariando técnicos do governo Luiz Henrique, adequando o procedimento às normas da Lei de Licitações — que levou em conta a orientação prestada pela área técnica do TCE — foi essencial para o edital ser aprovado pelo Pleno do Tribunal de Contas. O lançamento do procedimento licitatório foi uma providência adotada pelo Deinfra para cumprir decisão preliminar nº 3.531/2007 do TCE, de 31 de outubro de 2007, decorrente de auditoria que apontou problemas na segurança lateral das duas pontes.(Além da colocação de defensas metálicas numa extensão de 4 mil 980 metros, o edital de concorrência nº 37/2008 prevê o fornecimento de materiais, incluindo a remoção dos postes e das guias das defensas existentes nas duas pontes. Os serviços foram orçados pelo Deinfra em R$ 3 milhões 86 mil 744,69. Uma verba considerável e que vai interessar muitas empresas de engenharia em nosso estado e do país.


Tinha sacanagem


Embora tenha passado pelo crivo do TC, o Deinfra terá que atender a duas determinações feitas na decisão nº 2.538/2008, com base na proposta de voto do relator do processo Cleber Muniz Gavi. No dia 14 o presidente do Deinfra, Romualdo Theophanes de França Júnior, recebeu a comunicação. A autarquia terá de retirar da fonte de recursos para pagamento das obras os valores oriundos da arrecadação com multas de trânsito. A providência terá de ser adotada quando da assinatura do contrato com a empresa vencedora do certame. De acordo com o Código Nacional de Trânsito, os recursos provenientes de infrações devem ser aplicados, exclusivamente, em sinalização de tráfego, de campo, policiamento e fiscalização e educação de trânsito. O Tribunal de Contas determinou, ainda, a inclusão de ação ou sub-ação específica para a realização dos serviços na Lei Orçamentária Anual de 2009, já que a previsão de execução das obras é de 270 dias, ou seja, vai ultrapassar o presente exercício financeiro. Segundo a Diretoria de Controle de Licitações e Contratações (DLC) do TCE, a previsão orçamentária específica vai assegurar a realização das despesas e garantir a execução do projeto sem a sua interrupção. Em função disso, a decisão também foi encaminhada à Secretaria de Estado do Planejamento. O que se percebe, com a indicação das verbas de multas e sem previsão rerecursos no próximo exercício, poderia significa uma demora das obras e sua conseqüente paralisação no próximo ano. Ou era um erro significativo ou uma tremenda sacanagem. Ou seja, TC mandou corrigir imediatamente o ‘trote’ para com os usuários das pontes na Capital. E já.


Auditoria


Vale registrar que o lançamento do edital de concorrência nº 37/ 2008 foi uma providência adotada pelo Deinfra, para cumprir decisão preliminar nº 3.531/2007 do TCE, de 31 de outubro de 2007. E lá se vão quase um ano desde a constatação da irregularidades nas pontes por equipe do Tribunal de Contas. Os membros do TC, ao realizarem auditoria in loco nas pontes Colombo Salles e Pedro Ivo Campos, os técnicos da DLC constataram problemas na segurança lateral. Entre os apontamentos feitos no processo (AOR – 07/ 00531386), destaque para a manutenção dos guard-rails, que foi considerada precária pela área técnica. Foi dado um prazo de 90 dias para que a Autarquia adotasse providências para a execução de estudos técnicos especializados, visando à melhoria do sistema de segurança. Os 90 dias se transformaram em mais de 300 e vão entrar em 2009 sem sua conclusão. Esperamos, atentos, que elas não ficam para a campanha de 2010 como se fosse uma grande realização política. Vale ressaltar que várias pessoas morreram, por cair da ponte em acidentes que poderiam ter sido evitados, se as defensas estivessem em altura compatível com as determinações legais e determinadas por decentes projetos de engenharia.


Mandou fazer


A auditoria foi determinada pelo presidente José Carlos Pacheco, em 23 de agosto do ano passado, logo após a queda de um caminhão da ponte Colombo Salles, que provocou a morte do motorista. Na sessão de 11 de junho deste ano, quase um ano após mais este trágico acidente, a auditora substituta de conselheiro Sabrina Nunes Iocken, relatora do processo que trata da auditoria in loco, determinou o sobrestamento dos autos, até que a DLC verificasse se efetivamente o edital de concorrência lançado pelo Deinfra contemplava “uma solução técnica adequada à segurança viária das pontes”. “Trata-se de uma medida para assegurar o objetivo maior que norteia o presente processo que é, justamente, a adoção de providências urgentes com vistas à adequação das pontes às normas técnicas de segurança viária, de modo a evitar que outros acidentes fatais, como os que já ocorreram, possam se repetir”.

Apesar do pedido de urgência, o governo do estado faz corpo mole e não saiu correndo, como se esperava, para corrigir este grave erro de construção que pode evitar novas mortes nas pontes que ligam a ilha de Santa Catarina ao continente. A correta ação de um administrador público, neste momento, era partir rapidamente para uma solução para evitar perdas de vidas desnecessariamente. Se, desde o ano passado tudo fosse providenciado (mesmo em 270 dia), já estaríamos coma s defensas colocadas e prontas para garantir a segurança dos seus usuários. Mas como o ‘se’ não trabalha no Deinfra, as vidas dos catarinenses, que por ali passam diariamente, ainda correm o risco de se perder desnecessariamente. Uma vergonha!


Vai pro MP/SC


A matéria está sob a análise da diretoria técnica. Depois, o processo tramitará no Ministério Público junto ao Tribunal e no gabinete da auditora Sabrina, e será submetido à deliberação do Pleno, para emissão de decisão definitiva. Matéria feita com apoio da Acom/TCE-SC.

Felipe Pamplona disse...

Mais uma mentira do Governo de João Paulo Kleinubing...diz ele que a cidade cresceu e se desenvolveu, mais leiam a reportagem da Folha de Blumenau para verificar que a população de Blumenau diminui, e ninguem quiz receber a reportagem da Folha pra falar sobre isso. Segue abaixo trecho da rerportagem.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dados em que mostra que a população de Blumenau diminuiu 2 mil 452 habitantes em dois anos. Em 2006, segundo o instituto, o município possuía 298 mil 603. Em 2008 a população está em 296 mil 151. O número de habitantes de cada município, estimada pelo IBGE, tem sua principal importância nos repasses de recursos federais.


Menos é menos


Os números do IBGE definem o repasse de recursos federais para os municípios, como para a saúde, por exemplo. Assim, havendo a redução do número de habitantes há uma redução imediata no repasse de verbas. O jornal Folha de Blumenau foi a campo em busca de explicações dos agentes públicos sobre a perda de habitantes e, conseqüentemente, com a perda de recursos a serem investidos no município. O geógrafo da Secretaria de Planejamento de Blumenau (Seplan), Patrício Farfan, lembrou que, em 2007, o Município enviou documento ao IBGE questionando os dados divulgados sobre Blumenau. “A secretaria recebeu documento do instituto, respondendo às questões, afirmando que os números eram esses e pronto”, conclui. Segundo o IBGE, é a primeira vez que o município de Blumenau registra queda no número de habitantes desde 2000. Mas, ao invés de irem em busca da conversação e da possível correção dos dados do IBGE, a prefeitura desenvolveu a estratégia do avestruz. Enfiou a cabeça em um buraco e deixou por isso mesmo. Mas, claro, ninguém lembrou que as verbas federais vêm de acordo com os dados do IBGE. Certos ou errados.


Ninguém fala


O jornal Folha de Blumenau tentou contato, sem sucesso, com a secretária de Saúde, Elizabete Ternes, com o prefeito em exercício, Edson Brunsfeld, já que o prefeito João Kleinübing está licenciado, e com o chefe de Gabinete, Cássio Quadros para obter algum tipo de informação sobre que tipo e em que volume seriam as verbas cortadas para a cidade de Blumenau. Nenhum dos dirigentes atendeu ao jornal. O diretor de Prevenção de Vigilância e Ações em Saúde de Blumenau, Marcelo Lanzarim, disse não ter conhecimento do fato. Já o gerente de Contabilidade da Secretaria de Saúde, Luiz Carlos Rocha, disse que não tinha os dados em mãos. Ou seja, a velha estratégia do ‘nada a comentar’. Mas, também, demonstra uma inércia executiva que prejudica o município, uma vez que ações devem ser tomadas para se evitar a fuga de habitantes e de capitais da cidade. Quando sai moradores, normalmente os investimentos ficam desestimulados e diminuem sensivelmente. Descobrir o que está acontecendo é emergencial. Questionar os dados do IBGE não resolve o problema. Ir em busca de resposta é o que qualifica um governo positivo.


Metodologia


O método utilizado pelo IBGE foi um estudo empregando metodologia de conciliação censitária combinada com o Método das Componentes Demográficas, que constitui uma ferramenta demográfica, procurando obter coerência entre os censos e contagens dos anos 1980, 1991, 1996, 2000 e 2007. Já o IPS, para o cálculo da população de Blumenau, o instituto teve como base a média de crescimento da população entre 1991 e 2000. A projeção da população foi feita a partir do ano 2000 em diante.

Anônimo disse...

É por isso que a RBS defende João Paulo Kleinubing.

O vereador Ângelo Roncáglio (PPS) protocolou semana passada, na Câmara de Vereadores de Blumenau, um requerimento pedindo explicações ao prefeito João Kleinübing sobre o processo de seleção dos patrocinadores da Oktoberfest deste ano. O vereador quer saber como foi feito a escolha dos patrocinadores da festa e pediu para conhecer o contrato em seus pormenores. Sentado, continua esperando uma resposta do alcaide.


Sem licitação


O secretário de Turismo de Blumenau, Norberto Mette, foi procurado pela imprensa para falar sobre a entrega do contrato que permite a Rede Brasil Sul captar patrocinadores para a Oktoberfest, sem licitação, pedido protocolado pelo vereador Ângelo Roncáglio (PPS) através de requerimento na Câmara Municipal. Procurado pela imprensa no Parque Vila Germânica, o secretário Norberto Mette não foi encontrado e, por telefone, sua assessoria disse que ele não iria se manifestar sobre o assunto. Como a festa é em área pública, realizada por empresa pública, em espaço e com o objetivo de promover o ente público o correto, afirmam os demais interessados, diz o vereador de Blumenau, é que o processo de escolha dos patrocinadores seja feito através de licitação clara, aberta e de conhecimento de todos os interessados. Afinal, se o processo está correto, por que o medo de apresentar os dados? Falta transparência e respeito para com os moradores de Blumenau, por parte do secretário de Turismo e do próprio prefeito João Kleinübing. Se o contrato está correto, nada se tem que temer. Certo?


Boca do povo


A rede de televisão Record (Ric), o jornal Folha de Blumenau e a Rádio Menina FM já entrevistaram o vereador e repercutiram o pedido de informações protocolado pelo vereador Roncáglio. O parlamentar quer saber os termos do contrato que permite a rede “escolhida” buscar patrocínio para a Oktoberfest e, com isto, associar sua logomarca à festa. O evento, vale lembrar, é o maior acontecimentos de público e renda em santa Catarina e é considerada pela própria Prefeitura como a segunda maior festa das tradições germânicas do mundo. Atrás as penas da festa da Alemanha. O contrato com a rede “escolhida” foi feito pela agência de publicidade Propague, de Florianópolis, a mesma que faz a campanha do candidato a prefeito, João Kleinübing. Como os valores envolvidos ultrapassam a cifra de R$ 1 milhão, a lei nº 8.666/95 obriga aos entes públicos que selecionem as em- presas escolhidas através de licitação. Neste caso não houve licitação. A Pro- pague ganhou licitação para executar serviços da Vila Germânica e, segundo o diretor do Parque e secretário de Turismo Norberto Mette, está previsto no contrato que ela, a Propague, pode captar patrocinadores para a Oktoberfest. Ao terceirizar a captação da procura de patrocinadores houve um claro atropelamento da legislação. Afinal, na licitação da Propague nada constava que ela poderia terceirizar este procedimento. Todos estão esperando as explicações do prefeito de Blumenau.

Felipe Pamplona disse...

pergunta ao João Paulo Kleinubing quem vai abrir uma cervejaria no Vila Germanica, ele não sabe!!?, Hum, pensei que ele conhecia um tal de Nelson Santiago, parece que ele trabalhava no gabinete do então Prefeito João Paulo Kleinubing, como foi esse processo de licitação, igual a que deu o direito de exploração a RBS TV? analisem

Anônimo disse...

Este é o jeito DEMOCRATA de administrar uma cidade.
Estes foram os administradores do passado distante que afundou o Brasil, fizeram fortunas e hoje seus filhos querem aproveitar dos direitos, e o povo? Chamam de bonitinho e administrador e o pior, querem mais quatro anos. Deus me livre isso é pior que bater na mãe...

Em Chapecó onde a prefeitura é administrada pelos DEMOCRATAS (os fofinhos) o prefeito cara de pau mais o vice estão negociando a compra de um caminhão de dez milhões por 30 milhões e aida fazem piada quando dizem que é pelo social deles que precisa ser dividida a comissãozinha.
E VOCE ACEITA ISSO?
VEJA VC MESMO:
http://cangablog.blogspot.com/2008/09/confisso-de-roubo-do-prefeito-de-chapec.html