segunda-feira, outubro 20, 2008

NOVO DIRETOR PRESÍDIO DE BLUMENAU

AJUDA EXTERNA
O diretor do DEAP, departamento que cuida do sistema prisional em SC, Hudson Queiroz, disse que é preciso um choque de gestão para enfrentar os problemas do presídio de Blumenau. E pede apoio à comunidade. Hoje, às 16 horas, o capitão Carlos Alberto Luvizotto assume a direção da instituição. É a quinta pessoa a ocupar o cargo no período de um ano e meio.


ASSIM É FÁCIL
Concordo que é preciso uma união de todos, mas o DEAP deveria fazer a sua parte. São várias as denúncias de irregularidades no local: presos que fugiram pela porta da frente, torturas que teriam sido praticadas por agentes, detentos flagrados dirigindo carro do presídio tranquilamente, regalias a presos sem autorização judicial, ingresso indiscriminado de celulares e drogas no interior do local. Sem falar na maior fuga da história - 16 presos - ocorrida em agosto. Qual o resultado concreto destas denúncias? Até onde sei nenhum. Se o Estado não faz sua parte, fica difícil pedir que a sociedade ajude.

Um comentário:

Glayton Robert disse...

Peço que me perdoem pelo comentário fora do tópico postado, mas quero demonstrar a minha indignação com o que tenho percebido na Oktoberfest. Adolescentes menores de idade protagonizando cenas deprimíveis de embriaguês e de entorpecimento pela maconha que rola solta sem qualquer repressão. Não há a cobrança do documento de identidade nas portarias da festa ou mesmo nos caixas que vendem os tickets do chopp como prevê a legislação e o pior: não há um só conselheiro tutelar se manifestando quanto ao caso. Sei que esta minha opinião é polêmica, mas acredito que a Oktoberfest já deu o que tinha que dar. Já cumpriu o seu papel inicial de salvaguardar a cidade dos prejuízos da enchente e já destacou a cidade por todo o país. Hoje ela só serve para trazer turistas beberrões para a cidade que, ao final, fica um lixo. Há, além disso, o aumento da criminalidade seja pelas brigas provocadas por aqueles que pensam que podem mexer com a mulher dos outros, seja pelo aumento dos furtos que ocorrem durante a festa.
Acredito que Blumenau precise criar novos atrativos turísticos para que não nos tornemos reféns da Oktoberfest. E, antes que digam que este é o pensamento xenófobo de algum blumenauense típico, supostamente descendente de alemão, digo que eu nem sou natural de Blumenau, apenas adotei esta cidade e faço questão de tentar manter a qualidade de vida que me trouxe até aqui.
É isso!