quarta-feira, outubro 22, 2008

POLÍTICA

DE VOLTA
Hoje o vereador eleito Mário Hildebrandt (DEM) reassume suas funções como secretário municipal de Assistência social, da Criança e do Adolescente e também como presidente da Fundação Pró-Família. O que pode ser uma sinalização de que Hildebrandt deva ocupar o mesmo cargo no segundo mandato de JPK, apesar da contrariedade do pessoal que trabalhou na campanha dele, que quer vê-lo ocupando uma cadeira no Legislativo.

5 comentários:

Xnet disse...

Será que ele consultou os votos que lhe deram a vaga ?

É gente é os aliados mostrando a verdadeira face do Governo JPK.

Blumenau pagou muito caro com essa mega coligação, quem vai colher a safra é o povo!

Anônimo disse...

Posições sempre contrarias aos anseios do povo, faz parte do jogo político brasileiro, onde quem paga, pasme, é o último a saber dos rombos. Se tirar todos os políticos do Brsail, ainda não vai dar certo, os sitema é podre, graças a ARENA e o MDB, lembram.

Anônimo disse...

O apontamento do MDB e Arena, feito pelo amigo anônimo, é interessante e nos leva a uma reflexão. Inicialmente, tínhamos apenas dois partidos, que foram gerando um, dois, três, um monte de outros partidos. Mas na época de eleições, a maioria deles, das disicdências, se aliam para disputar as eleições.

Por que separar?

Anônimo disse...

Sabe, esta discussão é interessante, demonstra que quem as discute tem embasamento, política a gente faz no dia a dia, somos movidos pela política, mas o que estes fazem no Brasil é a verdadeira politicagem, exatamente isto, separam, voltam, conchavos, hj vc é bom, amanhã é ruim. Tudo movido a interesses obcuros. Penso que a sociedade precisa acordar, quando menciono sociedade, quero dizer todos, até mesmo a imprensa que sabe de tudo, mas somente expõe o que interessa a este grupo de ARENA E MDB, os demais que pensam eles dizem que são do PT e ou esquerda, como se fosse vantagem alguma ser do PSDB(Escândalos do FHC), DEM(PFL não esqueçam), PMDB( e outros mais). Estamos em 2008 e a correção dos rumos no país, passa pelo que a imprensa de um modo geral fala. Sua audência na maioria das vezes sai justamente dos menos favorecidos deixados por estes que os concederam as grandes rádios e TVs.Então para mim, a maioria da imprensa nacional trai, justamente que a sutenta.

Anônimo disse...

Sem comentário