quarta-feira, novembro 19, 2008

TRANSPORTE COLETIVO

GREVE NO HORIZONTE
Apesar de uma decisão judicial restringir a paralisação, motoristas e cobradores dos ônibus de Blumenau têm tudo para cruzar os braços a partir de amanhã ou nos próximos dias. Nas duas assembléias realizadas hoje, os trabalhadores rejeitaram por unanimidade a proposta do patronal. A terceira e última assembléia acontece à noite e lá haverá um comunicado oficial.

NO BOLSO
A decisão judicial que está valendo prevê multa de R$ 20 mil por dia para o sindicato caso não ponha pelo menos 70 % da frota circulando nos horários de pico e 30% nos demais horários. Será que o sindicato vai peitar?

14 comentários:

fabioricardo disse...

é uma greve enfraquecida, só pelo fato de não ser total. é que nem regras de guerra. se obedecer tudo, não eh bem guerra de verdade.

Anônimo disse...

Não concordo com o Fábio. Conversei agora, 6:12 da manhã com um profissional do segmento que tem um onibus particular ele disse que a coisa ficou feia ontem à noite e que nem os 30% eles estão dispostos a cumprir. O fato é que o consórcio dificulta todas as negociações, e a prefeitura não interfere, nem irá se meter. Trocando em miúdos, a coisa vai estourar para o povo. Então pergunto... não era de a Prefeitura se mexer já e procurar uma solução ao menos satisfatória para seu povo, e não esperar acontecer para depois... ahhh... vamos ver o que dá pra fazer agora... fico realmente chateado com tudo isso, porque na época da política, tudo era, lindo, divino e maravilhoso! Agora, estamos sempre tendo que viver na expectativa de ter ou não algum tipo de serviço básico. Ou é a saúde, ou o transporte... daqui a pouco será a coleta de lixo... ou o que mais vier porque simplesmente estamos à mercê de nossa propria sorte, neste final de ano! Que administração se mostrou essa do João Paulo depois da eleição!

Juliano disse...

Acho que o prefeito não deve se meter nisso, pois ele tem (ou deveria ter) pessoas nos primeiros escalões do governos ou nas autarquias que deveriam fazer isso. Além do mais, estas "paralizações" são muito estranhas. Existem 50 formas mais inteligentes e eficazes de se fazer pressão, mas o mais "cômodo" é ferrar o povo. Já passou da hora do sindicado ter um posicionamento mais inteligente.... E os caras ainda vão pra rádio pedir a compreensão do povo. Como é que se pede compreensão pra uma mãe que não podendo levar o filho pra creche, pois não tem transporte, fica em casa e perde o emprego? O pessoal do sindetranscol vai cuidar do filho dela? Vai arrumar outro emprego pra ela? Volto a dizer: é bem mais cômodo e fácil pra eles estacionarem os ônibus do que pensarem numa forma inteligente de pressão.

Anônimo disse...

Juliano

Qual a seria a sua solução inteligente?

Elimar Russi Filho disse...

Juliano

Também fiquei curioso tentando imaginar "50 formas mais inteligentes e eficazes de se fazer pressão" poderia relatar algumas?

Obrigado.

Elimar

Juliano disse...

Respondendo: circular com os ônibus sem cobrar passagem, ou cobrando um valor simbólico, ou mesmo deixando os usuários entrarem pela porta de trás, já seria uma boa idéia. Enquanto vou escrevendo as outras 47, também aproveito pra perguntar aos sabichões de plantão que não pegam ônibus como eu, o que o povo deve fazer? apóia o movimento? O que deve ser dito e feito com o povo que fica no ponto de ônibus esperando sem informação, ou pra quem perdeu o emprego, ou pras crianças que perderam aula, ou pra quem teve que ir a pé, na chuva, pra casa? Pelo jeito a maioria dos que escreve aqui usam carro, então não precisam se preocupar com a greve dos ônibus. Eu, ao contrário, que dependo do transporte coletivo, devo baixar a cabeça e aceitar pacientemente o que a vida me reserva.

Elimar Russi Filho disse...

Juliano

Respeito tua opinião, e sei que o lado mais frágil da corda (o povo) é que paga o preço, no entanto os trabalhadores (motoristas e cobradores) também pagam o preço, com desconto dos dias parados e muitas vezes com perseguições por lutarem por seus direitos. Mas a greve é a última ferramenta deles, e indiscutivelmente a mais forte, infelizmente. Eu entendo os transtornos gerados, no entanto a greve é o único instrumento legal, as outras sugestões que relataste podem gerar demissão e (questinavelmente) até justa causa, pois liberarem as catracas ou cobrar a menos é como se um vendedor de uma loja vendesse uma geladeira pelo valor de uma garrafa térmica.

no entanto

Jonas Wurth disse...

Juliano, me diga como é que os motoristas vão circular com os ônibus sem abastecer? Sim pois se eles não cobrarem as passagens o combustível irá acabar e aí terão que prestar contas. Tudo parece muito simples mas não é... o fato é que a cada dia os empresários, salvo algumas excessões, estão cada vez mais gananciosos, querem lucro e não pouco, querem muito, se pudessem ter os trabalhadores como escravos e sem pagar um único imposto é o que eles gostariam. Responsabilidade social, responsabilidade ambiental é só demagogia barata que o povo ainda acredita e a imprensa consegue convencer.
Eu tenho uma empresa pequena e presto serviços para outras empresas, e lido diariamente com inescrupulosos empresários, que "tiram o couro", e estão lá vivendo num paraíso.
Pra tudo existe o bom senso, infelizmente os empresários do consórcio siga não conhecem o bom senso.

Anônimo disse...

Juliano

Se circulassem transportando passageiros e sem a cobrança da tarifa configuraria crime, e seriam presos.

Tenta outra.

Anônimo disse...

A questão é o jogo de teimosia. Quem teima mais? Patrões ou empregados? Vide o caso dos Têxteis. Não adianta... hoje de manhã o Betinho tava falando em aumento para 2,50 na passagem de ônibus. Se alguem, neste jogo de teimosia vencer, quem vai levar na espinha é a população, que vai pagar 5,00 por dia pra trabalhar. Se os têxteis tem o piso de 600, façam as contas, o que esse pessoal vai comer? Caviar?

Elimar Russi Filho disse...

Claro!

O pratronal sempre aproveita prá "enfiar" mais a faca.

Não esqueçam que esse "consórcio" (se falasse máfia poderia ser processado) ganhou um licitação (?!) com um valor e logo depois já praticou outro, isso sem reajustar salário algum.

Eles têm muita "gordura" sobrando sim, podem ter certeza, não há a mínima necessidade de aumentar a passagem, ainda mais num patar exagerado desses (2,50).

Não entendi o racicínio do último ANÔNIMO, mas como sempre digo, não vamos confundir as lutas, e além do mais, parabéns aos têxteis pela coragem que tiveram de desafiar as grandes potencias de Blumenau.

Se todo trabalhador fosse unido e buscasse os seus direitos como os têxteis, motoristas e cobradores, não haveria tanta exploração.

Anônimo disse...

Aliás o nome Consórcio Siga em todos os coletivos das três empresas de Blumenau é muito estranho. O usuário que utiliza o os ônibus, no dia-a-dia, se confunde qual o ônibus pertence a que empresa, se Glória-monopólio, Rodovel ou Verde Vale. Todos são padronizados para um único nome - Consórcio Siga. Muito estranho.

Anônimo disse...

Oras

A numeração dos ônibus da Glória começam com 1xxx.
Da Rodovel 2xxx, e da Verde Vale 3xxx.

Anônimo disse...

Resposta ao Anônimo sobre a numeração dos ônibus, caracterizada, respectivamente como 1xxx - Glória; 2xxx - Rodovel e 3xxx Verde Vale, como usuário costumaz do transporte coletivo e a maioria da população não representa nada. A obrigação é a identificação de qual a empresa pertecente o coletivo.