quinta-feira, dezembro 11, 2008

POLÍTICA

NA FRENTE
A eleição presidencial é em 2010, mas os blocos começam a ser colocados na rua. Amanhã às 14 horas na Assembléia Legislativa, acontece o ato de lançamento do documento Juventude Pró-Serra. Lá as alas jovens de PSDB e DEM, além da Juventude Popular Socialista, vão tentar dar mais um passo na direção de fortalecer o bloco em torno do nome do tucano à Presidência.

SEM TUCANOS
Segundo release, confirmaram presença o deputado estadual César Souza Jr. (DEM), o deputado federal Fernando Coruja (PPS), o Deputado Federal Paulo Bornhausen (DEM) e o Senador Raimundo Colombo (DEM). Como no final do release fala “e lideranças Tucanas do Estado de Santa Catarina”, imagino que o material não tenha sido redigido pelo principal interessado, o PSDB.

SERÁ QUE VAI SER ELE?
Fazem bem os defensores da candidatura pró-Serra. Quanto mais cedo o nome na rua, mais ele tem chances de ser lembrado. Só precisa combinar com o Governador mineiro Aécio Neves, também de olho na vaga.

5 comentários:

Xnet disse...

O Serra já demonstrou esse ano que não quer bons funcionários ao seu lado por algumas vezes recusou-se a negociar com duas grandes classes (Professores e policiais) o que é fundamental para "sustentar esse modelo politico" educar e manter a ordem é requisito basico para qualquer outra melhoria!
Serra é fraco como lider! Como diz o PHA Serra é o nosso PUTTIN!

Anônimo disse...

o Serra é aquele que quebrou o Alkmin pra apoiar o Kassab? Este PSDB é um grande partido mesmo no sentido da palavra(quebrado). Me adianto para esclarecer a todos e pedir a ajuda da imprensa dizendo ao povo bem antes das eleiçòes sobre esta gente que vem por ai. De um lado os coroneis do DEM=PFL/PSDB e tal, do outro a Maria vai com as outrs do PMDB juntamente com o PT é provável. Teremos que escolher umas destar farras pra votar, é uma pena. Por aqui, os conchavos de uma conjuntura muito bem armada, cedendo secretarias, com uma maioria esmagdora na câmara de vereadores, sem dar chance da oposição de respirar. Vão aprovar a té a cor dos palitos de picolé na cidade. No estado, um momte de aproveitadores da TETA do LHS, cadê nossos senadores? O colombo, O Pavan e seu suplente? Temos que torcer para a IDELI vir de longe, com o braço quebrado, trazer uma luz para a cidde. Independente de sigla, os outros também deveriam se mexer por Blumenau, sabem o que é isto, falta de liderança por aqui, políticos preparados para as grandes conjunturas, deixam A região do vale fraca, e ela aceita. Prestem atenção, precisamos formar grandes políticos aqui, estes que estão por aí, somente atendem a uma minoria, gente, vamos votar certo e em gente nossa, pra não ter que enprestarmos de nenhuma região um lider, mas, enquanto isto, que a IDELI seja a única guerreira em nossa causa, os outros senadores devem estar tomando banho de sol, que fiquem por lá.

Anônimo disse...

É isso aí, vamos retrogredir ao neoliberalismo, no mesmo contexto em que a maior crise econômica da história do planeta, ou a segunda maior, pouco importa, avilta-se no cenário. Curioso, as duas crises foram causadas por políticas (neo)liberais, e o Estado - aquele monstro que não deixa os capitalistas livres para fazer o que quiser, mas sempre está aí para ajudá-los quando estes precisam - teve de intervir para resolver esse imbróglio.

Muito bem, vamos novamente dar o aval a um modelo privaticionista - pois o Estado não tem competência para gerir nada, sempre a iniciativa privada é melhor para isso - e vender as últimas posses do Estado. Vamos delegar a poucos indivíduos as reservas de petróleo que pertencem ao povo brasileiro.

É, Raulzito parece que tinha razão: "Tá tudo pronto aqui
É só vim pegar
A solução é alugar o Brasil!..."

Anônimo disse...

Este tal de XNET deve ser um cara doente e recalcado e Petista , pois não se identifica em suas falas, mais um covarde como o tal do SAPÃO.

Anônimo disse...

O cara não se identifica pois ao pensar e enxergar vão taxáo-lo de Petista. é sempre assim, lembra do AI-5, dá medo realmente de enfrentar os coronés e a ditadura. Qaundo a coisa mudar até eu vou me identificar.