quarta-feira, dezembro 03, 2008

SOLIDARIEDADE

CAMPANHA TRANSPARENTE
O Ministério Público anunciou que não é sua competência fiscalizar doações em dinheiro, como havia sido anunciado pelo Instituto Ressoar, braço social da Rede Record. Imediatamente a emissora, que já arrecadou quase R$ 6 milhões em uma semana de campanha, contratou a Trevisan Auditores, uma das empresas de auditoria mais conceituadas do país. O dinheiro da campanha vai exclusivamente para a construção de casas para as pessoas atingidas.

MALDADE
Uso o termo acima, para não chamar de sacanagem a nota publicada na página 3 do Jornal de Santa Catarina de hoje. A manchete é “Sem Fiscalização” e fala da decisão do MP sobre a campanha da Ressoar. Mas omite a contratação da Trevisan Auditores e busca claramente denegrir a campanha da Rede Record.

UNIÃO
O momento é de união e não de ciumeira e dor de cotovelo. Mas imagino que o jornal terá grandeza em esclarecer a nota na edição de amanhã. Pelo menos assim espero.

2 comentários:

Anônimo disse...

Na verdade a RECORD tomou o Santo Nome em vão. Falou que o Ministério Público iría fiscalizar, sem falar com o Ministério Público. Errou duas vezes a Record. Não falou antes, não explicou por que o MP não aceitou e não falou. Agora pode contratar o Bispo para gerir o negócio que me parece começou em barco furado...então..a tendência é naufragar. Só para lembrar e deixar como isca de assunto. Quanto vão passar a custar os terrenos, onde sejam possíveis as edificações?

fabioricardo disse...

Tem que ter alguém pra fiscalizar mesmo, com certeza. Mostrar transparência. Se a Record fez isso contratando uma empresa gabaritada, e o jornal falou o contrario - ou omitiu, no caso - é sacanagem mesmo. ou "maldade" como vc disse.