quarta-feira, agosto 20, 2008

ELEITORAIS TELEVISIVAS

AGORA SIM, DADA A LARGADA
João Paulo Kleinübing apostou na família, Décio investiu na política e Ivan Naatz abusou da simpatia. Assim pode ser resumida a primeira aparição dos candidatos à Prefeitura de Blumenau na propaganda de TV.

PROGRAMA E CANDIDATO RUINS
A propaganda foi aberta pela candidatura da Coligação Blumenau, um programa de péssima qualidade técnica. O presidente estadual do partido deu as boas vindas, uma hora olhando para a esquerda, outra para a direita, sempre em busca do texto que deveria estar colado do lado da câmera. Duvido que contasse com tele-prompter, aquele aparelhinho maravilhoso que salva os apresentadores durante os programas. Depois veio José Ouriques e sua ladainha. Pulamos.

NA POLÍTICA
Já a coligação Blumenau é de Todos contou com a abertura da apresentadora Cinthia Canziani, de cabelos pretos, mas não menos linda. Alguns figurantes apareceram com a fala “Eu quero Décio de novo” e “o prefeito que mudou a cara de Blumenau”. Depois todo programa foi centrado no lançamento oficial da candidatura, realizada no começo do mês. Falaram o ministro da Pesca, Altemir Gregolin; Cláudio Vignatti, deputado estadual; a senadora Ideli Salvatti; Lurian Silva, filha do presidente Lula e os presidentes de cinco partidos que fazem parte da aliança. Entre eles, Dalto dos Reis, do PR.

DISCURSO
Os marqueteiros de Décio exploraram trechos do discurso do candidato durante o lançamento. Em tom emotivo o candidato sempre que pode frisava o compromisso com as camadas mais pobres da população.

APOSTA NA EX-SENADORA
Já o PSOL começou com a fala do candidato a vice, Hartmut Kraft e depois do candidato a prefeito Dari Diehl, com a tradicional cortina de fundo. O programa fez menção ao nome da estrela maior, Heloísa Helena e no final um clipe com imagens de Blumenau.

CAMPANHA VERDE
O programa da Coligação Salve Blumenau começou com um Ivan Naatz “pra lá” de sorridente. Esbanjando simpatia, usava uma gravata verde limão em um cenário verde também. Ele propôs um pacto com o eleitor e lembrou: “eles já tiveram a chance deles”. Chamou o seu companheiro de chapa, Ângelo Roncáglio, que falou que os dois representam a única oportunidade de mudança. Encerraram com um clipe recheado de imagens bonitas. É cedo ainda, mas a música da candidatura tem tudo para pegar. É muito boa.

EM CASA
O programa de João Paulo Kleinübing começou com uma inserção comercial estrelada por Carol Lapolle, falando da qualidade do candidato. “Ele não é de falar, é de fazer”, afirma a apresentadora. Em seguida, os quase 13 minutos que sobraram foram em família, um tom bastante pessoal, como se fosse a sala da casa de JPK. Ele estava com a esposa, as duas filhas, a mãe, o coordenador financeiro da campanha e amigo pessoal da família Horácio Rebello, o vice atual Édson Brunsfeld e o candidato a vice Rufinus Seibt, alem do motorista Marcelino. Tudo feito para tentar tirar a imagem de sisudez de João Paulo.

TOM INTIMISTA
A esposa Patrícia batia nesta tecla que o marido era assim em uma primeira impressão. Depois se soltava. A mãe, Vera, lembrou da infância e da vocação pelo estudo e pela política do filho. Quando lembrava que ele não tinha aptidão para o futebol deram boas risadas. O companheiro de chapa frisou que JPK “faz mais do que fala” e o inseparável Marcelino fez uma avaliação pessoal que parecia sair da cabeça de marqueteiro, ao falar como era Blumenau antes e depois da administração de João Paulo. “Blumenau era triste”. A frase é a mesma dita pela apresentadora Carol Lapolle, em comercial que está sendo exibido.

RESUMO
As armas foram apresentadas aos poucos, mas muitas cartas ficaram escondidas na manga. Ivan Naatz não bateu em ninguém. Décio fez questão de frisar as diferenças entre a gestão dele e de JPK e João Paulo se apressou em passar um lado mais humano de seu jeito técnico de ser.

2 comentários:

fabioricardo disse...

parece que boa parte dos candidatos preferiu iniciar a campanha mostrando que superou os seus defeitos, para com o tempo depois ir atacando os defeitos dos outros.

Anônimo disse...

Alexandre! Não achas estranho que a campanha do João Paulo fale de " não voltar ao passado" e sempre nos discuros e nas produções, se fala no pai do atual Prefeito? Não voltar ao passado, é só pra Inglês ver, ou pode voltar ? Me parewce, como estratégia de Marketeiro, uma bola nas costas do João Paulo. Mas tem explicação pra tudo na vida...vamos ver o que dizem.