segunda-feira, outubro 27, 2008

OKTOBERFEST

NÚMEROS FINAIS
A chuva fez a expectativa inicial não se confirmar, mesmo assim mais de meio milhão de pessoas passaram pela Vila Germânica nos 18 dias de Oktoberfest. Os números oficiais registram a presença de 594. 636 pessoas e o consumo de 324.103 litros de chope, uma média meio litro por cabeça.

DÚVIDA
Agora fica a expectativa para saber o número oficial de pagantes. Será divulgado?

12 comentários:

Xnet disse...

Resta saber se o faturamento liquido vai superar a bagatela do ano passado de 58 Mil reais para todos os 17 dias de festa. ( fala seriu até festa de igreja dá mais que isso )

Será esse o tão esperado aumento de turistas com a mão na "bufa"?

ARTILHEIRO disse...

Vejam só o que o sr. Norberto Mette declarou para o Santa: "afirma que a 25ª Oktoberfest superou as expectativas no quesito qualificação do público".


Só se foi lá dentro do Parque, porque nas ruas continua a mesma porcaria de sempre, carros cantando pneus, som alto, bobalhões embriagados e inconvenientes e guarda municipal nada! (alguém foi interpelado para o teste do bafômetro?)

Sobre a guarda municipal destaco ontem dois guardas folgadões que as 19h26 estavam batendo papo junto ao portal no cruzamento das ruas Alberto Stein e Humberto de Campos enquanto o trânsito estava travado; se estes dois guardas estivessem dispostos a trabalhar deslocar-se-iam para o cruzamento e distribuiriam o fluxo de carros desafogando a rua Alberto Stein dos carros provenientes da rua Almirante Tamandaré.

Enquanto Joinville se destaca prestigiando a dança, aqui dançamos prestigiando a bebedeira.

Anônimo disse...

xnet tem razão de novo. E mais: JPK foi visto sexta à noite na festa. Com cara de poucos amigos... será porque? Porque será?
Ele está preocupado em fechar a conta que não fecha na prefeitura... os 200 e poucos mil que arrecadou no Jantarzinho do hotel não dão nem pro cheiro (no bom sentido). E agora, como vai ser? Mais fácil fazer como nos filmes, taca fogo n prefeitura e apaga o arquivo, ou melhor caixa preta, como diria o Dari.

Anônimo disse...

já que descambaram para o lado da política, pergunto:


já que o décio ficou 8 anos no poder porque que ele não acabou com a Oktober? engraçado isso ...

Anônimo disse...

caralho, será que ninguém aqui mais tem capacidade de argumentar algo sem passar para o lado da política?

independente do assunto (futebol ou religião) sempre tem alguém para meter política no meio ...

Realmente está dando nojo de ler essa merda desse blog, que antes era nota 10!

Anônimo disse...

Caro Anônimo, não discordo da sua indignação de só se alar em política, mas gostando ou não, para o bem ou para o mal, toda nossa vida infelizmente depende de política. Enquanto continuarmos que as coisas acontecem e existem simplesmente por que existem e são desta forma por que são, que elas acontecem de forma expontanea, estaremos fazendo o papel de avestruz que enterra a cabeça na terra quando corre perigo e asim não vendo nada com a cabeça enterrada acha estar segura e protegida e deixa exposto todo o restante do corpo. Para quem não gosta de discutir política e nem participar dela e acha melhor despolitizar os acontecimentos, vale a pena ler o poema de Bertold Brecht - O analfabeto Político:

"O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.

O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais".

Jonas Wurth disse...

Oras, quem está incomodado com os comentários, que não os acesse. Basta ler as notícias da página principal, ninguém é obrigado a ler, se clicou foi por estar curioso. E este blog não é uma "merda", uma "merda" é quem não respeita o que outrem tem a dizer. Se o cidadão quer falar de política, deixa ele falar, pelo que sei ainda vivemos numa democracia, e este blog é um espaço democrático.

Quanto a festa, foi uma pena que o tempo não colaborou, e só não vimos mais bagunça pelo fato de não termos tido feriado este ano emendando... aguardemos ano que vem, 12 de outubro cai numa segunda-feira... Deus nos acude.

Anônimo disse...

Jonas Wurth, parabéns. É dificil achar um pouco de respeito porque a verdade dói. Tem gente que se machuca quando outras pessoas falam do reizinho de Blumenau. Oras, não quero dizer que tu sejas contra ou a favor, mas vc está com a razão. O blog não é nem nunca foi desmerecedor de qualquer tipo de respeito, pra não repetir a palavra aqui anteriormente citada. A festa estava ótima, os números condizentes com vários fatores (economicos- porque todo mundo tá com pé atrás - climáticos - nem precisa adendo - e muito mais respeitosa) que nos deixa mais orgulhosos sim pela qualidade dela do que pela quantidade. Se tem gente com problemas pra se explicar com faturamento baixo, isso são outros quinhentos. Respeito muito este espaço e agradeço ao Alexandre por termos um lugar para expormos nossas opiniões. Raivas à parte, o que passou, passou, bola pra frente. Natal tá aí!

Alberto Luiz disse...

Comentários maldosos sempre irão existir. Sempre haverá o Bloco dos Contentes com tudo e o bloco dos que acham tudo uma grande "M...".

Enfim, acho que em um balanço geral devemos sim parabenizar a organização da Oktoberfest. E se de um lado faltou decoração na cidade, sobrou capricho dentro dos pavilhões. A nova área do Biergarten estava o máximo! a decoração do setor 1 (cervejarias artesanais) estava ótima e a decoração da brahma idem.

Uma coisa deve-se levar em conta: pessoas mal educadas sempre existirão. Deem graças a deus que a maioria dos baderneiros e delinquentes estavam do lado de fora (na rua em frente) e não dentro dos pavilhões.

Outro dia alguém comentou sobre o consumo de álcool por menores de idade: eu pessoalmente vi o policiais carregando 3 menores que estavam bebendo, acredito que não foi feito "vista grossa", como muitos dizem. O que faltou foi efetivo para fiscalizar com mais rigor, isso é fato!

Sobre o fato de não haver Blitz na saída da Oktober, eu desafio qualquer um a me dizer durante esses 25 anos de oktober em qual edição houve uma verdadeira campanha rigorosa e fiscalizadora quanto ao álcool. Porém hoje o assunto vem em pauta devido a polêmica envolvendo a lei seca. Os policiais elegam falta de efetivo e equipamento. Eu digo que é falta de vontade mesmo.
Sou contra a lei seca, pois acredito que se a lei antiga fosse fiscalizada a rigora, não precisariamos desta palhaçada de "tolerância zero". Um exemplo da falta de vontade policial é o numero ridiculos de cerca de apenas 50 multas aplicadas na saida da via expressa com a 470. O Santa já flagrou mais de 100 carros por dia que fazem manobra irregular, porém a polícia nesse período todo só multou cerca de 50 pessoas.

Eu sou um dos que defende uma Oktober de qualidade, e não de quantidade. Prefiro que tenhamos um público de 300mil, que tenham um bom poder aquisitivo e deixe bastante dinheiro na cidade do que um ônibus cheio de paulista que vem com o dinheiro da cerveja contato no bolso.

Artilheiro, em resposta ao seu questionamento sobre a bagunça, digo mais: nas ruas continua a mesma porcaria de sempre sim, porém a parcela de culpa não é somente da organização. Coloco uma parte da culpa nos comerciantes que incentivam o publico baderneiro, com venda de "capeta" e "chupa cabra" aos arredores da Oktober. Se a festa é da cerveja, isso deve ser respeitado, pois se nas ruas também tivesse chopp à R$ 4,00 garanto que os maus elementos não estariam por ali.

Para terminar, vai minha crítica aos que organizaram a tal da "Oktober segura", que na minha opinião deveria mudar para "Oktober INsegura".
Sexta feira resolvi apelar para o bom senso, e me programei para voltar de táxi "seguro". A história começa com um motorista bocejando e limpando seu olho cheio de "ramela". Logo ao fazer o contorno na rotatória da Vola Germânica, um guarda do seterb o pára e pede para o taxista colocar o cinto de segurança. Após isso começou o show: moro na Jorge Lacerda, e durante todo esse trajeto o "motorista" não baixou de 80/ 100km/hora. Passou por cima das tartarugas, ultrapassou na faixa dupla e literalmente jogou um carro para o meio fio por não lhe dar passagem. Como os táxis não possuem mais numeração, não consegui marcar o individuo, mas era um Siena modelo novo.
Pensando que este poderia ser um caso isolado, ignorei. Porém no dia seguinte (sábado) ao voltar para casa de carona com alguém que não havia bebido, quase nos envolvemos em um outro acidente por conta de um taxista que estava em alta velocidade ultrapassando na faixa dupla.
Se alguém do seterb ler isso, segue meu conselho: treinem estes "motoristas" pois se continuar desta forma, eu ^prefiro dirigir embriagado ao volante a 30Km/hora do que andar com um "piloto" desses ...

Fran disse...

A presença de 594.636 pessoas soa estranho... não seria rodada a catraca 594.636 de vezes????

Acredito que o número de pagantes ainda é a melhor forma de contabilizar os participantes da festa, mesmo que muitos estão trajados, somente eu, que fui fazer uma matéria de manhã no Parque (quando não tem festa, nem nada) rodei a catraca 2 vezes!

Se o Parque levasse a sério o "giro da catraca" e só rodasse uma vez por pessoa, durante a noite, já seria um grande avanço!

Abbraços Alexandre e Parabéns pelo espaço!

Franciele Cardoso

Alberto Luiz disse...

FRAN,

Todos os foliões que entram no parque, inclusive aqueles vestidos tipicamente, isentos
do pagamento do ingresso, são contabilizados.

FONTE: Jornal de Santa catarina (28/10)

Anônimo disse...

So o Norberto "Enfia" (é o mesmo que Mette) não tivesse proibido os professores de acessarem a festa no "Dia dos Professores", certamente o resultado de público seria outro. E viva a delicadeza "hipopotamal" de nosso secretário de Turismo.