segunda-feira, outubro 27, 2008

DO LEITOR

NA BRONCA
Por conta dos problemas nas obras no trevo da Mafisa, apresentadas no final de semana, o leitor Péricles Sevegnani manda o seguinte e mail, coberto de razão:

VIADUTO DA MAFISA

Esta obra e um perfeito exemplo de como as coisas funcionam no Brasil.
As licitacoes sao ganhas pelo fornecedor mais barato, que por questoes obvias, utiliza materiais de segunda qualidade, e faz um pessimo servico.
Ja rachou uma alca de acesso. Ja desmancharam um pilar porque o concreto nao prestou.
Em marco do ano que vem (se ficar pronto) quem vai utilizar o viaduto ? Nos... a empreiteira vai pra casa.
A desculpa, e sempre a mesma, a chuva.
Quando voce passa ali, se tem sol, os operarios estao sentados a sombra.
Quando tem chuva, nem aparecem.
Com 7 milhoes, ate eu constro viadutos desta maneira.
Com este dinheiro, deveria ter pelo menos umas 50 pessoas trabalhando, dia e noite.
Mas a gente sabe que o dinheiro e usado pra cobrir os detalhes, tipo diarias de hotel, viagens dos engenheiros, propina a todos os politicos "pai" e "mae" da obra, e por ai vai...
O processo de licitacao, na minha opiniao, deveria ter preco minimo, estipulado pelo governo.
O governo apresenta o edital, com a especificacao dos materiais a serem utilizados, tipo, qualidade, etc., quantas pessoas irao trabalhar, e todos os detalhes do projeto.
As empreiteiras que aceitassem a obra, dentro do valor e todas as especificacoes, participariam de um sorteio. Hoje, uma constroi uma ponte, amanha, outra constroi um viaduto, e assim por diante.
Mas, no final, a pergunta que nao quer calar, eh a seguinte: como um cidadao, que se diz engenheiro, estuda 5 anos o mesmo assunto, constroi uma alca de acesso, num terreno proximo a um ribeirao, e nao faz a minima ideia de que vai dar merda ???
Imagina o viaduto...

obrigado,

Pericles Sevegnani
Analista de Sistemas

LEMBRANÇA
O exemplo da obra do Viatudo faz eu puxar pela memória a situação da quadra de esportes da EBM Fernando Ostermann, no bairro Boa Vista, que caiu em janeiro de 2006. Construída na gestão de Décio Lima veio abaixo na gestão de João Paulo Kleinübing, pouco mais de três anos depois de ser erguida. Ninguém foi responsabilizado e a quadra não foi reerguida.

6 comentários:

Anônimo disse...

Meu querido amigo e eleitor como eu. Pensas que vai adiantar alguma coisa o que escrevestes ? Nada ...vai continuar a mesma mamata e sacanagem. Somos os bocós...ainda não criamos vergonha.

Anônimo disse...

Passamos quatro anos reclamando, e já começou, depois vamos todos igual a coredeiros votar, ninguem me engana mais.

Anônimo disse...

Estava tudo bem antes das eleições, agora vão aparecendo os problemas, cade os defensores de DL ou JPK? Mais quantro anos na cabeça, estávamos mal de candidatos mesmo.

Laíse disse...

Plenamente de acordo!!!!! E para o anônimo que comentou que nada adianta o que vc escreveu: não cai nessa cara que é bem isso que se espera das pessoas que tem consciência,que elas desistam. Perde-se uma luta,mas jamais,jamais a guerra.

Anônimo disse...

Mas que que é isso meus amigos, será que sofremos de uma cavalar ausência de memória? Tivemos a oportunidade de reforçarmos mais a repsonsabilidade dos que querem gerir a cidade....preferimos o continuismo, ruim com ele pior sem...é, pois é...

Anônimo disse...

Engraçado como todos os tópicos remetem a refletir sobre a real identidade da política brasileira. as postagens neste blog agora são todas caraterizadas por desrespeito ao eleitos. Por que não apareceram antes? Quando digo que a imprensa sacaneia seus melhores parceiros, os ouvintes, tem gente que é contra. Me expliquem este monte de notícias agora? Deixem se passar quatro anos e votem nesta gente de novo?