segunda-feira, junho 09, 2008

JUSTIÇA ELEITORAL

TIRANDO AS DÚVIDAS
A Justiça Eleitoral de Blumenau promoveu na tarde desta segunda-feira uma reunião com representantes dos veículos de comunicação e dos partidos políticos. O Juiz Eleitoral Osmar Mohr e o Promotor Eleitoral Flávio Duarte falaram durante quase uma hora e meia, explicaram as principais mudanças e tiraram dúvidas dos presentes.

PARA PESAR NO BOLSO
Eles alertaram que qualquer propaganda eleitoral feita até seis de julho é ilegal. Depois disto ela pode ser feita de forma paga na mídia impressa, mas não no rádio e na televisão. Nestes dois veículos só será permitida a propaganda eleitoral gratuita entre os dias 19 de agosto e dois de outubro. A multa inicial para quem descumprir as regras é de R$ 20 mil.

MENOS POLUIÇÃO VISUAL
Com relação a última eleição municipal a grande mudança está na restrição do espaço público para a propaganda, livrando a população da poluição visual imposta por placas em postes, outdoors e barracas fixas. Em espaços privados ela só pode acontecer até um limite máximo de quatro metros quadrados.

BRECHA
Uma situação foi perguntada, mas não suficientemente esclarecida. Como ficam automóveis plotados ou com placas de candidatos estacionados em vias públicas? Teoricamente, eles estão liberados. Mas é bom não exagerar na dose...

PROIBIÇÃO
Brindes como canetas, bonés e bottons estão proibidos.

RESPONSABILIDADE
O Juiz e o Promotor alertaram os jornalistas e radialistas sobre entrevistas com candidatos e também com cidadãos comuns. O veículo de comunicação não pode servir de palanque.

ELEIÇÃO E FUTEBOL
O Promotor Eleitoral Flávio Duarte promete rigor desde já e comparou o seu trabalho com um juiz de futebol: “é preciso controlar o jogo desde início, para não perder as rédeas”, afirma, prevendo uma eleição para lá de disputada.

ELEIÇÃO E IMPRENSA
Flávio Duarte fez outra comparação importante, desta vez do trabalho da Justiça Eleitoral com a imprensa: “Precisamos ter isenção e imparcialidade para garantir a igualdade entre todos”.

Um comentário:

fabioricardo disse...

E sobre a utilização da internet, nada foi esclarecido?