quinta-feira, setembro 25, 2008

JORNALISMO

DEMOROU
Pioneira na imprensa de Santa Catarina, com a primeira televisão e o primeiro jornal em off set, além das emissoras de rádio, apenas agora Blumenau forma sua primeira turma de jornalismo. É a da Faculdade Ibes. A colação de grau acontece sábado próximo, às 18h30 no Teatro Carlos Gomes.

PARABÉNS
Eu, que gosto muito do que faço, fico muito feliz. É muito bom para todos. Além disso, comemoro por ter grandes amigos se formando, como o Marcão, da rádio Menina e o Rodrigo Ramos, da Fundação Cultural. Se formam também o Everton, da Folha, Leo, da TV Galega e mais muita gente boa. Safra nova, com exceção de alguns já experientes, que buscaram a formação acadêmica.

14 comentários:

Anônimo disse...

Realmente estão de parabéns, o IBES (equipe de professores) pelo belo trabalho e os nossos queridos comunicadores que foram em busca de mais conhecimento. Nós expectadores temos que aplaudir!

Everton disse...

Alexandre, valeu pela lembrança...
Aguardamos sua presença na colação e, posteriormente, no baile.

Anônimo disse...

Parabéns a aos focas.
O que me chama atenção é a esperteza que o Megarda tocava as coisas do UNI e do IBES e as cagada que faz na política.
Hoje sem Pacheco, Roberto Imme, Rolf, era vereador eleito.
Mesmo assim parabens pelo pionerismo em BNU.

Giovanni Ramos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Giovanni Ramos disse...

parabéns aos focas e aos experientes que buscaram a formação acadêmica.

Enfim, formandos de jornalismo em Blumenau. Parabéns para o IBES, que não obriga mais os alunos irem até Itajaí para estudar. A instituição, aliás, está com uma boa imagem na comunidade.

Anônimo disse...

Informação quente........Pesquisa:
JPK: 38,2%
Décio: 34,3%
Ivan: 7%
Ouriques:1,5%
Dari:0,8
B/N: 6%
Indecisos:12,2%

Anônimo disse...

Parabéns aos experientes que buscaram formação. Aos focas um desejo. Que não se iludam com esta profissão. É complicada, estressante e não tem mercado para todos. Quem se estabeleceu, se estabeleceu. Quem ainda busca seu lugar, precisa ter criatividade para apresentar diferenciais ou novos produtos ao mercado. Se tem uma carinha bonita ainda tem uma chance de ser repórter de TV. Mas não pensem que isso é tão glamuroso como pensam a maioria. Só tem isso na Globo.

Anônimo disse...

A pesquisa é brincadeira, pensei que haveria milhares de comentários, já que o pessoal tem feito mais campanha pelo blog do que na rua.
Minha experiencia frustrou-se. Nenhum comentário, pelo jeito ninguém acreditou!

Anônimo disse...

A pesquisa é brincadeira, pensei que haveria milhares de comentários, já que o pessoal tem feito mais campanha pelo blog do que na rua.
Minha experiencia frustrou-se. Nenhum comentário, pelo jeito ninguém acreditou!

Anônimo disse...

Parabéns a todos os formandos!
Que levem a notícia a todos de uma forma transparente e imparcial.

Felipe Pamplona disse...

A Verdade esta prevalecendo

Justiça Federal anula escutas telefônicas da Operação Influenza

Decisão comprova armação para prejudicar candidatura de Décio Lima

Decisão da Justiça Federal de Santa Catarina, anulando as escutas telefônicas das provas da Operação Influenza, comprova armação para atingir a candidatura de Décio Lima à prefeitura de Blumenau pela Coligação Blumenau de Todos. A sentença decretando a nulidade das interceptações telefônicas foi proferida nesta quinta-feira, dia 25, e foi divulgada no site oficial do órgão (www.jfsc.gov.br).
O ato, considerado ilícito pela Justiça Federal, conforme sentença da juíza Ana Cristina Kramer, da Vara Federal Criminal de Florianópolis, é ainda mais grave, posto que Décio Lima não está envolvido na Operação Influenza, tendo sido exposto de forma irresponsável, “Essa armação está desmoronando e a verdade está aparecendo”, diz.
Conversa telefônica, supostamente entre o deputado federal Décio Lima e um dos sócios da Agrenco, empresa que está sendo investigada pela Operação Influenza, foi divulgada pela imprensa de forma indevida nos dias 15 (Diarinho do Litoral) e 16 de agosto (Jornal de Santa Catarina). “Ele foi exposto num ato irresponsável. Foi um crime”, porque teve como objetivo atingir a candidatura de Décio Lima a prefeito. A Justiça Federal entende, com a decisão, que houve violação do direito legal.

why so serious disse...

Felipe, o fato da justiça anular as escutas das provas, não quer dizer que as escutas não existiram ou eram falsas! Elas simplesmente não podem ser usadas como provas no caso, mas elas existem e mostram o caso de amor entre Décio e Agrenco!

Quer dizer basicamente que o Décio ganhou dinheiro ilegal da Agrenco e agora vai ficar difícil provar.

Qualquer um que não esteja pregado em Blumenau sabe o que está acontecendo em relação às escutas no Brasil, depois do presidente do supremo ser grampeado

Felipe Pamplona disse...

Então comenta sobre isso "Why so serious"

É de se estranhar que, em épocas de eleições, alguns candidatos ainda afirmem que fizeram aquilo que se sabe que não foi feito. O prefeito João Kleinübing (Dem) disse que tinha aumentado o número de vagas na pré-escola e foi desmentido por números mais reais fornecidos pela vereadora Maria Emília de Souza (PT), olhando os números do Ministério da Educação, que foram baseados em dados da Secretaria de Educação do próprio município. É mole?. Ele errou por apenas 2 mil crianças. E, a mentira do prefeito é tão descarada que, para 27 crianças conseguirem vagas nas pré-escolas de Blumenau, tiveram que recorrer à justiça. E venceram. Os três cargos comissionados que ganhavam da prefeitura sem trabalhar, com certeza pagam as 27 vagas das crianças e ainda sobra um troco pra prefeitura. Uma vergonha.


Na marra


A 2ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça (TJ), em processo sob relatoria do desembargador Orli Rodrigues, confirmou sentença da Comarca de Blumenau, e determinou ao município que disponibilizasse vagas em estabelecimentos públicos de ensino infantil (creche e pré-escola) a 27 crianças da região, sob pena de multa diária no valor de R$ 300. Isto é em segunda instância. Significa que, além de não dar as vaga para as crianças, o prefeito ainda recorreu e deixou a meninada fora da escola por mais alguns meses. E, pelo andar da carruagem, ainda vai recorrer para deixar o abacaxi para a próxima administração. As crianças esperam que o novo prefeito seja mais comprometido com a educação e menos com o papo furado. Mas, vale lembrar, o prefeito João Kleinübing é um dos candidatos e pode estar no segundo turno das eleições. Assim, a gurizada, que ficou fora da escola, torce para que, em vencendo o atual prefeito, ele não as deixe fora da escola.


Uma vergonha


O Ministério Público recebeu denúncias de cidadãos de Blumenau, pais das crianças, e do Conselho Tutelar da cidade de que a municipalidade havia negado atendimento a crianças em estabelecimentos de educação infantil. Mesmo após a insistência dos pais e do Conselho Tutelar. Assim, descumprindo uma nora legal, a Prefeitura deixou 27 crianças na rua, e alguns pais, talvez desempregados por não ter aonde deixar as crianças. Após os descumprimento por parte do Município da recomendação formulado pelo Ministério Público de Santa Catarina para que fossem efetivadas as matrículas dos alunos, o Ministério Público ajuizou ação civil pública com pedido de liminar para que fossem disponibilizadas as 27 vagas solicitadas pelos pais das crianças. A desculpa esfarrapada, pelo visto, foi a de sempre. Não tinha mais recursos: bem, a população de Blumenau, com certeza, iria preferir ver as 27 crianças na escola do que ver três cargos comissionados da prefeitura recebendo sem trabalhar. Aliás, este é outro pro- cesso que envergonha os moradores de Blumenau. Ver que ainda existem gente que dá emprego pra quem não trabalha.


Não provou


Na decisão em 1º grau, o juiz concedeu o pedido em caráter liminar e determinou que as vagas fossem providenciadas em estabelecimentos de ensino da rede pública próximos às residências das crianças. Inconformada, a Prefeitura teve a cara-de-pau de apelar ao Tribunal sob o argumento de que, embora destine 25% de suas receitas à educação, não consegue suprir a demanda de vagas, e deixou as crianças sem escola.

"É indubitável o dever da municipalidade de priorizar a educação infantil e manter programas de educação pré-escolar, garantindo atendimento em creches e pré-escolas a crianças de zero a cinco anos", destacou o relator. Ademais, apesar de ter alegado dificuldades para suprir a demanda de vagas, o município não apresentou elementos que comprovassem o argumento. Ou seja, o prefeito disse que não tinha grana para pagar as vagas para a gurizada, mas não apresentou as provas da falta de receita ou de motivos que impedissem o município de dar escola para estas crianças. Uma vergonha. Por unanimidade, os demais desembargadores que compõem a Câmara acompanharam o relator. (Apelação Cível nº 2007.064174-2). Matéria feita com apoio da assessoria de imprensa do TJ.

Anônimo disse...

então vamos la, corre em segredo de justiça processo contra João Paulo Karan Kleinubing, por que esse é o verdadeiro nome do miliante, por evasão de divisas, calcula-se que em 3 anos foram feitas remessas de mais de 3 milhões, isso mesmo, 3 milhoes de dolares para paraisos fiscais. Esse é o prefeito que esta ai hoje.