quinta-feira, novembro 13, 2008

FURB FEDERAL

ESCLARECENDO
O reitor da Furb Eduardo Deschamps manda e mail para o blog esclarecendo detalhes da postagem colocada na terça-feira, de que a universidade não foi contemplada pelas emendas pedidas pelo Fórum Parlamentar Catarinense. Reproduzo abaixo:

No caso do FURB Federal temos a garantia de duas emendas individuais dos deputados Décio Lima e Cláudio Vignati para o estudo de viabilidade de implantação de Universidade Federal em Blumenau em parceria com a FURB. Estas emendas devem somar R$ 200 mil.
Foi desta forma que iniciou o projeto da Universidade Federal do Oeste (através de uma emenda individual do Deputado Vignati para o estudo de viabilidade), sendo que após a aprovação do MEC os parlamentares de SC passaram a incluir emendas coletivas de recursos para a implantação da Universidade.
Não caberia colocar emenda coletiva para o FURB Federal no momento pois estamos ainda estabelecendo as negociações com o MEC para definir o projeto de parceria.
Além disso, existem diversas demandas do Vale em relação à infra-estrutura extremamente relevantes e o momento é de viabilizar estas obras.
A hora do FURB Federal vai chegar, basta cumprirmos cada etapa com tranqüilidade e consistência que, tenho certeza, em breve o Vale do Itajaí também contará com sua Universidade pública e gratuita via FURB.

PARA FINALIZAR
Está dito. Quando postei a informação, uma pessoa questionou, pois eu disse que o Vale do Itajaí ficaria mais uma vez sem uma Universidade Pública. O leitor lembrou que a FURB é pública e tem razão. Mas o meu ato falho se deu porque não considero pública uma instituição que cobra mensalidades de seus alunos.

6 comentários:

Rafa disse...

Caro Alexandre,

Obrigado por relembrar que a FURB é pública. Quanto ao pagamento, já expliquei anteriormente.
Você diz que não considera pública por conta do pagamento.
Pergunto-lhe: A SAMAE não seria uma empresa pública então? Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Petrobrás também não?
Falo isso para considerares que pagar ou não pagar por um serviço não determina se ele é de caráter público.
E como, de fato e de direito a FURB tem carácter público valeria a pena a Imprensa de Blumenau tratá-la como tal afim de que a comunidade, como disse no post anterior, faça pressão para que os nossos representantes faça acontecer o projeto FURB Federal.
Como bem salientou o Prof. Eduardo, os parlamentares já começaram a fazê-lo por conta do plebiscito.
Mesmo assim é sempre bom que dás espaço a nossa Universidade.
Grande Abraços,

Rafael

Elimar Russi Filho disse...

O pior é uma faculdade "pública" com mensalidade mais cara que o de faculdades/universidades particulares.

E não paga prá ver se não é protestado!

Aí o "serviço público" funciona!!!

Anônimo disse...

Admiro eu um Deputado do Oeste Catarinense disponibilizar emenda da união para uma universidade do Vale.
O que me deixa mais absmado que só deputados do PT destinárão verbas a Furb Fedreal cadê o nossos outros 14 Deputados de nosso estado e do outros Partidos.

Anônimo disse...

Parabéns aos Deputados Décio Lima e Claudio Vignatti pela atitude! Agora, também gostaria de aber aonde estão os outros deputados de Santa Catarina?

Jonas Wurth disse...

Já mencionei em outro comentário que, para a Furb se tornar federal em primeiro lugar deveria exonerar todos os funcionários, direção e professores. Abrir edital para compor um novo corpo docente, quadro funcional e chefias, enxuto e livre de vícios. A proposta da Furb federal só tem um propósito, garantir a "mamata" com recursos federais dos incompetentes que nesta instituição estão impregnados.

Outra observação: não ficarei nem um pouco admirado se o MEC credenciar o ensino superior federal no CEFET em Gaspar deixando Blumenau sem um ensino superior público. A maioria das pessoas de Blumenau tem dinheiro pra pagar mensalidade, é uma cidade com a maioria rica.

J. Andrade disse...

Sei que vão discordar do meu argumento, talvez simplista mas com lógica. Federalizar a Furb porque? Erros administrativos financeiros a levaram a inviabilidade? Que se busquem os culpados. Ora, se existem altos salários de funcionários com pouca qualificação(por exemplo) e outras mazelas, porque se transferir ao governo federal? A prioridade em qualquer país civilizado e que busque chegar a isto, é a educação de base e o ensino médio é que são prioritários, o que não ocorre no país. Errado? Porque não existem,hoje, a grande maioria de universitários estudando para serem professores de ensino básico e médio? Todos sabem. Não temos política pública educacional para isto. Desde infra estrutura, até salários defasados(isto uma vergonha). Na federalização da Furb há o ego massageado daqui para incluir esta unidade educacional no país. Lamento que se gaste esse dinheiro com isto. Repito a prioridade do país é ensino básico e médio. Os incompetentes que a admnistraram, respondam pelo ônus.